No início desta segunda-feira (29), o Cirque du Soleil entrou com pedido de falência. A companhia situada em Montreal, Canadá, tomou a decisão em resposta à interrupção forçada dos shows em virtude da pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Ao todo, o fenômeno circense demitiu quase 4,700 funcionários desde março, e não pode realizar seus shows conforme o esperado.

Segundo o Las Vegas Review-Journal, com o pedido de falência e a reestruturação a tendência é que a produtora veja a entrada de uma nova direção até o fim do ano. O preço do Cirque du Soleil em si não foi divulgado, mas atualmente as dívidas chegam a quase US$ 1 bilhão (R$ 5,4 bilhões).

"Nos últimos 36 anos, o Cirque du Soleil tem sido uma organização altamente bem-sucedida e lucrativa", disse o presidente e CEO do Grupo de Entretenimento do Cirque du Soleil Daniel Lamarre em comunicado. "No entanto, com zero receita desde o fechamento forçado de todos os nossos shows devido ao COVID-19, a administração teve que agir decisivamente para proteger o futuro da empresa".

Antes da pandemia, o Cirque du Soleil tinha 44 shows em exibição ao redor do mundo, seis deles em Las Vegas. Estes incluem o Michael Jackson ONE no Mandalay Bay, e o The Beatles LOVE no The Mirage. Outra produção de Las Vegas operada pelo Cirque du Soleil é o Blue Man Group, que também está envolvido nesses processos legais.

Mas para quem pensa que este é o fim do Cirque du Soleil em Las Vegas, ainda existe esperança.

"Como maior parceiro global do Cirque, a MGM Resorts entende que este é um momento difícil para a indústria do entretenimento, incluindo o Cirque", escreveu George Kliavkoff, Presidente de Entretenimento e Esportes da MGM Resorts em memorando.

"Os funcionários impactados do Cirque receberam notificações e informações diretamente do Cirque sobre suas opções. No momento, não acreditamos que o pedido [de falência] do Cirque afete nossa capacidade de reiniciar nossos shows quando apropriado, e chamar todos de volta ao trabalho. No entanto, a decisão de restabelecer o entretenimento em nossas propriedades continuará sendo impulsionada por diretrizes de saúde e segurança estabelecidas por agências governamentais, e por demanda de negócios".

Fudado em 1984, o Cirque du Soleil tornou-se um fenômeno pelas apresentações circenses sem uso de animais. A companhia ficou famosa por acrobatas, bailarinos, músicos, e toda série de artistas que juntos criaram as apresentações mais coloridas e encantadoras já vistas. O Brasil recebeu as turnês Saltimbanco (2006), Alegria (2007/2008), Quidam (2009/2010), Varekai (2011/2012), Corteo (2013/2014), Amaluna (2017/2018) e OVO (2019).