Após muito tempo eis que um review de filme vem combar diversas tags, e principalmente, ressuscitar o "Deu ruim mas eu gostei" e no entanto, por alguns diversos momentos ao longo das 2h de filme, me questionei por que gostei e se ainda conseguiria defender alguns pontos no Demolidor de 2003. Vamos lá, afinal, é momento de ser homem sem medo.




O que é?

O advogado Matt Murdock é cego, mas os seus outros quatro sentidos funcionam com uma nitidez sub-humana. De dia, Murdock representa os oprimidos e à noite, ele é o Demolidor, um vigilante mascarado e vingador implacável da justiça. Quando Wilson Fisk contrata Bullseye (Mercenário)  para matar Murdock, ele deve confiar em seus próprios sentidos e procurar os conspiradores contra a justiça, que pode incluir sua própria namorada Elektra.

O filme pegou o embalo dos filmes de heróis do inicio da década de 2000 e teve muitos altos e baixos para um filme só e que vou te contar a seguir. É curioso como o tempo ajuda a vermos pontos que passaram despercebidos e outros que, agora tem outro sentido.

Por que deu ruim?

As coisas que na época nem vi que tavam na cara...

Rever o filme ajudou a entender melhor a recepção do filme. Quando eu era mais novo eu tinha critérios simples, se as roupas estavam ok conforme o material original, and, as lutas eram boas, então o filme estava ok pra mim. Seria injusto na época eu colocar todos os filmes no mesmo sarrafo que os dois primeiros filmes do Homem-Aranha alcançaram, e também por ele ser meu personagem favorito da Marvel (e eu defendo o Ação Sem Limites).

As intenções com Demolidor eram boas, entretanto, o maior crime acaba sendo o roteiro e a direção, e olha só, dois pontos que são importantes demais para o filme caminhar bem. Com 2h de duração o roteirista achou que era uma boa ideia, olha só, apresentar personagens durante 1h de filme!

Dá pra sentir um ritmo parecido com de série televisiva como gastar um tempo com aquelas poses do Demolidor no inicio do filme. A física do filme também não ajuda nos momentos bons, por mais que haja a ideia de dar um bom impacto. No final do dia, um roteiro mais redondo no tradicional A->B->C já faria um filme muito melhor!

Mas o que teve de bom?

Elektra Natchios

Por que eu gostei?

A waifu machuca as vezes. Fun fact: eles acabaram casando na vida real, assumindo namoro  após o filme!

A história apesar de ser uma sequência de começos, o que ser amarrado como a ideia principal, até que anda e temos as trocações diretas. Falando em luta vem algo que quando mais novo não notei e o pai de Matt, que é boxeador, e entre a lista de adversários derrotados estão vários desenhistas da Marvel, e, a luta da cena do crime é contra um tal de John Romita...

Algumas ideias apontadas até que são boas e ao mesmo tempo que é ruim tentar "quadrinizar" demais um filme, pois são mídias com dinâmicas diferente no roteiro, a parte da ação com uma pegada visual meio "Sim City" foi algo bem agradável.

Demolidor não é a maior maravilha dessa época de transição dos filmes de heróis, que acabou ganhando um hiato por causa de uma bomba chamada X-Men 3 - O Confronto Final, mas é um filme que vale a pena conferir e tirar sua conclusão. Os momentos aleatórios acabam sendo bons, afinal, quem nunca se apaixonou por alguém e lutou com ela no parquinho sem motivo? Ah, você não amou direito nessa vida...


Ben Affleck e Jennifer Garner não tem 100% de culpa de como seus personagens seguem a história, porém, acabam tendo boas interações e cenas muito aleatórias. É divertido mesmo com o protagonista não gostando de ter participado do filme hoje em dia.

Demolidor está disponível para locação ou compra no Looke.