Chegamos a mais uma sexta-feira e é dia de voltar ao passado com algum clássico musical que, apesar de parecer ter suspense nessas linhas, já está revelado no título se não fica sem o texto. surgido em 1998 o The Strokes é a banda da vez com um dos seus hits de 2006 do belo álbum "First Impressions of Earth".



A formação do Strokes

Uma clássica banda para ser boa na época, marcava com alguma figura potencial problemática e esse papel ficou com Julian Casablanca (vocalista) o filho do famoso super empresários de modelos, John Casablancas. O baixista da banda, Nikolai Fraiture, é amigo de infância de Julian e foi algo simples de aceitar formar banda com ele.

Nick Valensei (guitarra) e o brasileiro enradicado no Estados Unidos Fabrizio Moretti (bateria e pecussão) começaram a tocar juntos quando estudaram na escola Dwight em Manhattan. O outro guitarrista, Albert Hammond Jr, conheceu Julian quando este foi estudar na Suíça para ver se melhorava seu comportamento, que começava a ser tenso devido ao álcool. Não criaram amizade próxima, no entanto, ao se encontrarem no Estados Unidos o "bora tocar na banda?" foi aceito.

O Strokes era visto como uma salvação pro rock, que toda década vive esse papo, devido a banda novata realmente ser muito boa logo de cara e gerando disputas por sua assinatura, além de questionamentos se a banda era tudo isso mesmo ou um banda de playboy só de diversão torrando dinheiro dos país, a até mesmo, se seria uma copia barata do Velvet Underground devido algumas similaridades. Estamos em 2020 e a história mostrou que a banda tinha sua identidade, não é mesmo?

As primeiras impressões da Terra

O "First Impressions of Earth" foi o terceiro álbum de estúdio do Strokes e com a pegada de inovar o rock da banda e conseguiu logo de cara polêmica com a MTv devido a primeira versão do clip de "Juicebox", o primeiro single do álbum, ter cenas homossexuais de ambos os sexos. Logo a MTv agindo de forma conservadora foi estranho esse dia.

O segundo single foi "Heart in Cage" que logo de cara o clip chamava a atenção pela escolha de fotografia e cenas para ilustrar a letra na qual muitos na adolescência se identificaria, e, ainda na adolescência pós os 30 também.

Com "You Only Live Once" como último single, o álbum feio forte e as músicas lançadas para impulsionar o disco e a banda foram muito bem obrigados, afinal, não precisamos de conselhos dos quais já sabemos e solta o play logo ai:


Letra

Well, I don't feel better when I'm fucking around
And I don't write better when I'm stuck in the ground
So don't teach me a lesson 'cause I've already learned
Yeah, the sun will be shining and my children will burn
Oh, the heart beats in its cage
I don't want what you want, I don't feel what you feel
See, I'm stuck in a city but I belong in a field
Yeah, we got left, left, left, left, left, left, left
Now it's three in the morning and you're eating alone
Oh, the heart beats in its cage
All our friends, they're laughing at us
All of those you loved, you mistrust
Help me, I'm just not quite myself
Look around, there's no one else left
I went to the concert and I fought through the crowd
Guess I got too excited when I thought you were around
Oh, he gets left, left, left, left, left, left, left
And I'm sorry you were thinking I would steal your fire
Oh, the heart beats in its cage
Yes, the heart beats in its cage
And the heart beats in its cage