A parceria BLAST x NEOM no está encerrada. De acordo com o HLTV, a organização comunicou a decisão aos times parceiros ainda na segunda-feira (10), depois de uma crescente reação negativa da comunidade de Counter-Strike: Global Offensive (CS:GO).

Entenda o caso

Tudo começou no dia 28 de julho, quando a BLAST anunciou o "acordo recorde" com a NEOM. O projeto, promovido pelo governo da Arábia Saudita, está criando uma mega cidade futurista e área de negócios. Com a BLAST, a NEOM iria estabilizar um centro de esports no Oriente Médio.

O problema

A comunidade de CS:GO reagiu de forma bem negativa, devido o histórico de violações dos direitos humanos do governo saudita. Some a isso os Huwaitat: a tribo ocupa parte da terra onde a cidade está sendo construída, e por isso está sendo forçada a deixar o local. A revolta também incluiu os direitos LGBT, que não são reconhecidos na Arábia Saudita.

E os times parceiros da BLAST?

Eles não se posicionaram publicamente, embora o HLTV informe que nos bastidores, a maioria deles mostrou preocupação tão logo a parceria foi anunciada.

A única exceção foi a Astralis. O CEO Anders Hørsholt descreveu a parceria como "inaceitável", e deixou no ar a chance do time não participar de eventos futuros da BLAST. O CEO da Complexity, Jason Lake, disse em seu Twitter que os times não foram informados da parceria antes dela ser anunciada.

Desta forma, a BLAST é a segunda companhia de esports a encerrar parceria com a NEOM em duas semanas. No final de julho foi a League of Legends Championship Series da Europa (LEC), que após a mesma reação de fãs e membros da comunidade, cortou laços com o projeto.

Via HLTV