O campeão voltou. Jeff Giassi, dono do título de 2019, repetiu a conquista na noite de quarta-feira e é agora bicampeão do Porsche Esports Carrera Cup. O único brasileiro no maior campeonato mundial de automobilismo virtual é também o único campeão do maior campeonato nacional em simuladores.

A conquista veio com dois segundos lugares em Monza, em jornada que foi dominada por Luiz Felipe Tavares.

O competidor do carro #20 cravou a pole e liderou todas as voltas da bateria 1. Na segunda prova realizou as ultrapassagens necessárias para gabaritar a etapa. Com as duas vitórias, Tavares saltou de sexto na classificação para encerrar o campeonato em terceiro.

O vice-campeonato ficou com Eduardo Borgert. Ele também foi duas vezes ao pódio em Monza -ambas em terceiro lugar.

Os três vão dividir a mais farta premiação da história do automobilismo virtual no Brasil.

Jeff Giassi ganhou uma viagem para o museu da Porsche na Alemanha, um exclusivo relógio TAG Heuer Carrera e US$ 500 em créditos na plataforma iRacing. Como ele já disputa a Supercup e já vem sendo treinado com o carro da Porsche Cup para competir a prova de 500km que encerra a temporada, os outros integrantes do pódio herdaram alguns de seus prêmios.

Borgert ganhou uma clínica de pilotagem com o carro da Porsche Cup, US$ 300 em créditos no iRacing e um programa preparação específica para buscar uma vaga na Supercup em 2021.

Tavares conquistou US$ 200 em créditos no iRacing e uma clínica de pilotagem com os carros de competição mais produzidos no planeta.

O Porsche Esports Program Brasil é uma iniciativa da Porsche Brasil em conjunto com a Porsche Cup Brasil, com patrocínio da TAG Heuer e parceria técnica com o IRB e-Sports.

As corridas

Seis pilotos chegaram para a etapa final com chance matemática de título. E foi justamente o sexto, Luiz Felipe Tavares, quem ditou o ritmo cravando a pole com autoridade.

No top5, todos eram postulantes ao título: estava pronta a receita para uma largada emocionante.

E como sempre acontece em Monza a realidade fez jus à expectativa. Tavares tracionou bem e chegou à freada da chicane sem ter a liderança ameaçada. Borgert segurou o segundo lugar, comboiado por Giassi. Gustavo Ariel passou em quarto, uma posição à frente de Erick Goldner. Quem levou prejuízo foi Rodrigo Baronio, o outro postulante ao título. Ele largou em oitavo e foi envolvido em confusão na primeira curva, despencando para 24º lugar.

Ainda na primeira volta, Giassi se posicionou por fora de Borgert no contorno da Parabólica. Ele segurou sua linha e cruzaram a reta principal emparelhados. Na freada, o piloto do carro #7 foi no limite e concretizou a ultrapassagem para assumir o segundo lugar na prova.

Tavares conseguiu livrar mais de 1s na ponta, mas entre segundo e sexto os carros vinham embutidos em formidável jogo de vácuo. Na sexta volta, Borgert tentou manobra para cima de Giassi na freada da primeira chicane. O catarinense se defendeu bem e deixou Borgert por fora para tentar a ultrapassagem na primeira das curvas Di Lesmo. O carro #77 acabou espalhando um pouco a trajetória e com isso Ariel foi obrigado a reduzir para prevenir o contato. Mas, no processo, recebeu inevitável toque de Goldner e rodou. Caiu para nono lugar.

Tamy Accioly entrou no top5, mas por pouco tempo. Na volta seguinte, novamente na primeira chicane, Bruno do Carmo mergulhou por dentro de William Candido buscando a sexta posição, mas acabou atingindo Accioly. Os três se enroscaram e foram para área de escape, de modo que Roger Rezende subiu para quinto e Ariel para sexto. Sem dificuldade, Ariel avançou para quinto na volta 9 antes da tomada da Parabólica.

Na segunda metade da prova os cinco primeiros conservavam suas posições. Sem ser ameaçado por Goldner, Borgert conseguiu se aproximar novamente de Giassi, mas sem efetiva condição de voltar a atacar. Tavares liderava com tranquilidade, e Ariel era pressionado por Neto Nascimento. Baronio, em 14º fazia prova de recuperação -mas àquela altura o sonho do campeonato já estava mais distante para ele.

Tavares venceu com tranquilidade. Giassi foi segundo com Borgert em seu vácuo na volta final. Depois Goldner e Ariel completaram o top5.

Décimo na primeira corrida, William Candido partiu da pole na segunda prova pela regra do grid invertido. Mas Bruno Risseto largou melhor e logo assumiu a dianteira. Entre os postulantes ao título, Ariel se posicionou em quarto depois da largada, Borgert em sexto, Giassi em oitavo, Tavares em nono, Goldner em décimo e Baronio em 11º.

Tavares ficou por fora de um 3-wide antes do primeiro contorno da Parabólica e o risco deu resultado. Deixou para trás Neto Nascimento e Giassi na abertura da segunda volta.

Mais à frente, Ariel foi espremido por Candido na freada da primeira chicane e os dois acabaram fora da pista.

Na terceira volta, Borgert mergulhou por fora na chicane do fim da reta e conseguiu passar Roger Rezende. Tavares já aparecia em quarto. Giassi era sexto, uma posição à frente de Baronio.

Tavares avançou para terceiro em manobra que terminou com Rezende rodando. Como resultado, Giassi herdou o quarto lugar.

Na quinta volta, Borgert assumiu a liderança no fim da reta principal. Tavares acompanhou e em questão de duas curvas também superou Risseto, para avançar ao segundo lugar.

No giro seguinte, Tavares abriu temporada de caça a Borgert: mostrou farol alto, emparelhou nas curvas Di Lesmo, se posicionou no vácuo... Giassi aproveitou e chegou para a festa depois de também deixar Risseto para trás.

Por fora na primeira chicane, Tavares assumiu a liderança. Borgert teve que se preocupar em segurar Giassi e este tinha Baronio em sua cola. Risseto acompanhava de perto.

O top5 se estabilizou nesta ordem, mas a disputa pelo sexto lugar era franca um pouco atrás. Na volta 11, Ariel, Goldner e Neto Nascimento ficaram em 3-wide ao longo de toda reta principal. Melhor para Ariel, que ficou por dentro e avançou para sexto, à frente do piloto Shell.

Borgert vinha determinado para assumir a liderança na abertura da volta 15. Mergulhou por dentro na freada da primeira chicane, mas Tavares segurou bem a linha por fora e ficou com a preferência na segunda perna da curva. Borgert espalhou e cedeu o segundo lugar a Giassi, que acompanhava a disputa de camarote e sem assumir riscos, uma vez que o terceiro lugar já era suficiente para garantir seu bicampeonato.

Na volta final, a única mudança dentro do top10 foi Accioly passando Rezende pelo oitavo lugar.

Tavares repetiu a vitória, à frente de Giassi e Borgert. Foram os três grande nomes da etapa e os três primeiros do campeonato.

O que eles disseram

“Eu estou muito feliz, não tenho como falar o quão feliz eu estou. Foi um campeonato extremamente difícil e essa semana caiu a final em uma pista que conheço pouco, já corri em Monza, mas é uma das pistas que menos andei no campeonato. Cheguei na etapa com muita pressão, acabei desenvolvendo o setup pro lado errado treinando sozinho. Aí fui treinar ontem com o pessoal e vi que estava com o setup errado, mudei o ajuste e deu certo. Consegui o bicampeonato. Ano passado foi extremamente difícil mas esse ano foi mais difícil ainda. Gostaria de parabenizar o pessoal participou, que chegou ao pódio e vai poder experimentar o carro de verdade, sentir a sensação que senti por ter vencido o ano passado e agora que venho sentindo me preparando para os 500 km. Tenho muito a agradecer por esse evento existir.”

Jeff Giassi



“Estou muito feliz, queria parabenizar o Jeff pela constância e por estar sempre pontuando, então é mais que merecido. Parabenizar o Borgert pelo segundo lugar e a vitória hoje é a definição de sair por cima. Na corrida passada tive dificuldade com setup e hoje consegui encaixar mais, estava confiante e sabia que não tinha nada a perder. Então estou muito feliz, minha parte eu fiz”

Luiz Felipe Tavares



“Se olhasse antes de começar o campeonato e visse que eu ia chegar com chances de título na última etapa eu não teria imaginado. Sem dúvida muito feliz de ter termiando nessa posição e poder fazer a clínica. Começo do campeonato a gente não tinha tanta experiência com esse carro e à medida que as provas fora passando a gente foi evoluindo e podemos levar isso como ponto positivo. Chego nessa última etapa bem satisfeito com a melhora que eu tive.”

Eduardo Borgert

Resultados


Corrida 1 (top10)
  1. Luiz Felipe Tavares
  2. Jeff Giassi
  3. Eduardo Borgert
  4. Erick Goldner
  5. Gustavo Ariel
  6. Neto Nascimento
  7. Roger Rezende
  8. Matheus Machado
  9. Bruno Risseto
  10. William Candido



Corrida 2 (top10)
  1. Luiz Felipe Tavares
  2. Jeff Giassi
  3. Eduardo Borgert
  4. Rodrigo Baronio
  5. Bruno Risseto
  6. Gustavo Ariel
  7. Erick Goldner
  8. Tamy Accioly
  9. Roger Rezende
  10. Daniel Machado

Campeonato (top10):
  1. Jeff Giassi 347 pontos
  2. Eduardo Borgert 320
  3. Luiz Felipe Tavares 289
  4. Gustavo Ariel 277
  5. Rodrigo Baronio 262
  6. Erick Goldner 261
  7. Bruno Risseto 216
  8. Marcio Campos 193
  9. Tamy Accioly 155
  10. Bruno do Carmo 130