Ah, outubro. Agora sim, estamos na reta final rumo a 2021.

Por ter ficado sem ideia, a falta de tema virou um tema! Assim começa o Outubro Aleatório™, onde eu escolhi as primeiras músicas que vieram na cabeça, e que não tivessem passado pelo Play. Sem meme. A primeira semana começa ao som de uma música que eu estou adorando, de um álbum que veio na hora certa: "The Game", do Amaranthe.

Os suecos lançaram o sexto álbum de estúdio na última sexta-feira (2), e eu já escutei ele umas cinco vezes? Por aí. Não posso falar demais sobre isso, pois sim, vamos ter review do "Manifest". O que eu já posso adiantar, é: ouça. É boa música que vale o seu tempo. O Amaranthe é uma das ótimas bandas de heavy metal da Suécia, e parte da história da Pessoa que Vos Fala™. Afinal, uma das minhas primeiras entrevistas foi com a vocalista Elize Ryd.

Além disso, a banda já passou pelo Play aqui outras vezes com "Inferno", "The Nexus", e feats da Elize em "Sacrimony", do Kamelot, e "Enshired in My Memory", do Timo Tolkki's Avalon.

Então como falar desse álbum sem dar spoiler do review? É complicado, mas vamos lá: "Manifest" é o sexto álbum de estúdio do Amaranthe, está muito bom e com músicas ótimas. Duas delas inclusive tem influência clara de outra banda que eu adoro, mas esse é um #descubra que fica para o review.

Falando sobre "The Game": a música provoca o sentimento de união, mesmo falando sobre um tema sério - o rumo do mundo. É batido? Sim. Mas do jeito que nós vamos, esse tema nunca realmente vai sair de moda. No máximo, mudar uns detalhes.

A música é excelente, Uma combinação bem produzida, pesada e gostosa de ouvir. Os três vocalistas brilham sozinhos, juntos, e ninguém tira o espaço de ninguém. O mesmo vale para os músicos, que dão uma fortalecida enorme no trabalho dos vocais: teclado e sintetizadores impecáveis. Bateria super empolgante. Guitarra e baixo entrando na festa que já estava boa.

Spoiler: o refrão é o próprio chiclete. Uma característica que o Amaranthe explora muito bem.

"The Game" é uma parte de toda filosofia da banda: falar sobre temas sérios, mas sob uma perspectiva positiva. E isso é muito bom! Várias vezes eu disse por aqui o quanto isso faz a diferença. Então vamos soltar o play e curtir essa banda tão querida:

Letra

So many days we left aside
We sought fortune by the rainbow
We longed to turn the hourglass
For the future going under

As the earth kept from crashing down
One step from the edge
Where are you now?
An incessant machine
For one purpose it goes on and on and on

And the games you play
Can't stop the world from going under
We can chase the past
But we cannot save the seven wonders
I can't help myself from wondering
Where do we begin?
It's not a game, no
This is not a game

So many days were left behind
Without knowing where they're going
We saw the future through the glass
When we still believed in wonders

Now the world comes crashing down
One step from the edge
Where are we now?
An incessant machine
For one purpose it goes on and on and on

And the games you play
Can't stop the world from going under
We can chase the past
But we cannot save the seven wonders
I can't help myself from wondering
Where do we begin?
It's not a game, no
This is not a game

The games you play
Our indifference will cause a worldwide immolation
The price we pay
Is a constant, neverending flagration

And the games you play
Can't stop the world from going under
We can chase the past
But we cannot save the seven wonders
I can't help myself from wondering
Where do we begin?
It's not a game, no
This is not a game