Com as aulas remotas, os estudantes perderam um período de integração e interação uns com os outros muito valioso: o intervalo. Isso é o que relatou uma das estudantes da Escola Concept ao contar sua experiência com o Clube Minecraft.


Ao ter como objetivo incentivar os estudantes a recriarem os prédios das unidades escolares das cidades de São Paulo (SP), Ribeirão Preto (SP) e Salvador (BA) a partir do Minecraft for Education, a Escola conseguiu devolver aos seus estudantes este tempo de convívio mútuo e divertido, mesmo em horário de aula e à distância. 

O projeto foi criado em julho deste ano após tentativas de criação de, mais do que uma escola, uma comunidade virtual, intitulada de “Virtual School”, na qual estudantes e educadores podiam verificar todos os detalhes de aulas e atividades. No entanto, de acordo com Graziella Matarazzo, coordenadora de tecnologia da Escola Concept, a intenção era de realmente criar um ambiente de encontro e dinâmico.

“Queríamos criar um campus virtual, proporcionar um momento de interação social em um lugar no qual os estudantes pudessem se encontrar. Isso foi possível a partir do projeto com o jogo que contou com participação de professores voluntários e de mais de 80 estudantes do Ensino Fundamental”, comenta. 

Ainda de acordo com a escola, o Minecraft se mostrou uma poderosa ferramenta de colaboração, um dos pilares da escola Concept, ao trazer uma maneira lúdica de aprendizado, que já faz parte do universo das crianças e que pode ser administrada e adequada pelas escolas a partir de suas intenções de ensino. 

Para desenhar o projeto e entender como viabilizar este clube, os educadores trocaram experiências com escolas no Japão e nos Estados Unidos a fim de aprender com eles como viabilizar a atividade no Brasil. Ao todo, doze educadores participaram inicialmente do projeto, sendo eles das disciplinas de artes, tecnologia, história, dentre outros.

Estes educadores voluntários se superaram indo além de suas áreas de especialidade ao buscar informações sobre a planta da escola e estudando o jogo para entender como tornar a experiência dos estudantes ainda mais real. Segundo relato da educadora da escola Alexandra Sawada, os educadores e os estudantes desvendaram juntos o novo mundo com base no Minecraft. 

Com o apoio do time educacional, os estudantes foram convidados a participar do Clube Minecraft, cujas reuniões semanais via Microsoft Teams, plataforma de colaboração e comunicação, têm como objetivo organizar um espaço da Escola. “Nosso foco eram os estudantes do Ensino Fundamental I, que têm idade entre 7 e 10 anos, mas tivemos também aderência de alguns estudantes mais velhos, alguns que apresentaram, inclusive, perfis de liderança para conduzir os times”, diz Matarazzo. 

Os estudantes e educadores são divididos em três grupos que se reúnem semanalmente, com encontros específicos para as crianças menores ou de acordo com os objetivos. Atualmente, o Clube está finalizando os campi de São Paulo e Ribeirão Preto, e vão dar início à construção do prédio de Salvador nas próximas semanas. 

De acordo com a Escola Concept, após a finalização das reconstruções, os estudantes já demonstraram interesse em fazer construções lúdicas com as quais os estudantes poderão usar a criatividade e a imaginação. Além disso, os educadores estão estudando maneiras de inserir o jogo no aprendizado de suas matérias como forma de engajar o público infantil.

“Construir o campus em uma plataforma virtual, em meio a uma pandemia, foi algo muito simbólico. Foi uma forma de nos conectarmos não só com nosso prédio mas com nossos colegas em um momento lúdico e prazeroso para todos os envolvidos.

No mundo Minecraft podemos visitar as outras unidades apenas ao atravessarmos a rua, ou seja, eliminamos as barreiras de distância e possibilitamos amizades entre os estudantes de cada estado”, finaliza a coordenadora.