Talvez um dos ad que mais chamou a atenção quando começou a ser vinculado na Twitch, The Boys foi direto ao ponto em seu comercial para mostrar para quem não conhecia o quadrinho que estava ganhando vida no serviço de streaming do Jeff Bezos, o mundo do super heróis pode ser muito diferente do que Marvel e DC Comics nos ensinaram em quase um século.

A origem de The Boys

Criada por Garth Ennis e Darick Robertson que deram vida à 72 edições impressas, The Boys é uma história em quadrinho no qual mostra o mundo dos super heróis que possuem seus valores moraes corrompidos pela fama e demonstram comportamentos que não esperamos de figuras que deveriam inspirar esperança para as pessoas.


A trama se passa entre os anos de 2006 a 2008 e acompanhamos o jovem Hugh "Wee Hughie" Campbell que vê sua vida mudar radicalmente após ver sua namorada morrer na sua frente após um conflito dos heróis com os crimes locais. Isso muda radicalmente sua vida e o faz chegar em um grupo liderado por Billy Butcher Bravo e nisso vemos como humanos podem lidar com heróis e dibrar a barreira dos poderes.As primeiras edições foram publicadas pela Wildstorm, mas após seis edições, a DC Comics decidiu cancelar a série por estar incomodada com tom das histórias, crítico aos quadrinhos de super-heróis. Isso também se deve ao singelo detalhe dos Sete serem basicamente mais parecidos com a Liga da Justiça com Snake Eyes como convidade especial.

A série "televisiva"

Uma premissa de certa forma pesada já seria o suficiente para chamar atenção, contudo, não basta apenas atrair audiência e não entregar um bom conteúdo. The Boys me passou um pouco do sentimento da era de ouro de Game of Thrones com a violência, alguns plots interessantes (difícil bater GoT em umas reviravoltas da coroa), sexo e a realidade mais crua do que fantasiosa daquilo que se pretende contar.


Você não esperaria ver nos quadrinhos da Marvel e da DC abuso sexual ou muito gore, não?

Em relação aos quadrinhos a série possuí algumas diferenças de roteiro, adição de personagens e uma troca, mas, mantendo toda a pegada da série original. Se você realizar o caminho inverso, já esteja ciente disso.

Os humanos que vão se mostrando na luta contra os Sete vão demontrando ao longo da série suas motivações, enquanto Hughie vemos logo de cara, ao decorrer dos oito episódios vamos entendendo melhor as motivações de Bruto liderando a equipe. Do outro lado, vemos a novata Annie, a Luz Estrela, tendo conflitos para manter seus valores ou se entregar de vez ao mundo errado que os Sete vivem desprezando os humanos.

Os heróis

Momentos antes da merda acontecer


Os Sete são compostos por Capitão Pátria (sátira do Superman com pitadas de Capitão América) possuí basicamente todos os poderes do Superman mas sem o lado bondoso da sua contraparte mais famosa e demonstrando ser sádico, sociopata e imprevisível em seu comportamento real, enquanto prega um forte conservdorismo NA.

O sopro de dignidade vem com Annie a Luz Estrela (sátira da Supergirl). Com um background que lembra o primo famoso da Supergirl, Luz Estrela cresceu na igreja e acreditando que poderia mudar o mundo para melhor e começa a ver e encarar farsas aonde ela menos esperava encontrar.

Maggie Shaw é a Rainha Maeve (sátira da Mulher-Maravilha) e alguém que assim como Annie, já teve o sonho de fazer a diferença ma acabou caindo para o sistema que agem os Sete. Demonstra ter alguma esperança de voltar a ser verdadeiramente uma heroína mas ainda se mostra reprimida com sua forma atual.



Reggie Franklin ou Trem Bala (sátira do The Flash) e um dos responsáveis por fazer a trama girar e colocar o Hughie no grupo "The Boys". Determinado a sero mais rápido do mundo, ele não hesita de ir até para meios que heróis não deveriam recorrer.

Kevin ou Profundo (sátira do Aquaman dos Super Amigos) é a cota de heróis ligado ao mar e a piada do grupo lembrando fortemente a versão mais 'zuada' do Aquaman para quem assistiu o antigo desenho dos Super Amigos. Profundo acaba sendo um personagem babaca e que quando tentar fazer algo mais correto, se dá mal.

Translúcido é um dos heróis criados para a série e seu poder é de se camuflar na luz, e assim, se torna invisível além de ter uma pele muito resistente ao ponto de não sofrer dano. 

Nathan Mitchel é o Black Noir (para muitos a sátira do Batman, mas seu jeito lembra muito o Snake Eyes do G.I. Joe) o herói ninja silêncioso dos Sete. Ele se mantêm totalmente como um mistério sem mostrar partes do corpo ou mesmo sequer falar.

Já o grupo humano é formado por Hughie, um ex-funcionáro de uma loja de eletrônica; Bruto um ex-agente da CIA que busca se vingar do Capitão Pátria; Leitinho da Mamãe especialista em operações que odeia o Francês e jura nunca mais trabalhar com o Bruto; Francês um mercenário e especialista em diversos assuntos garantido que o grupo consiga avançar nas missões e o grupo fica completo com A Fêmea (Kimiko) e uma nova saga para os Boys.

Além disso cada personagem principal ou relevante na série demonstra sofrer algum tipo de doença mental, outro ponto que vem de encontro com tópicos do cotidiano real, já que, vivemos uma era onde a saúde mental é cada vez mais afetada e agora existe uma comoção e preocupação real em cuidarmos de nós e dos outros.

O sentimento da primeira temporada


The Boys nos joga muitas cenas para chocar e criar seus arcos menores para detalhar pontas do arco principal e entre cenas que abusam de bons efeitos especiais para o gore da série, que literalmente tem uma cena nojenta por episódio, e os eventos momentos relacionado a sexo, a série deixa uma sensação de pontas soltas com frequência.

As temporadas possuem oito episódios e ao longo de seis a história parece não avançar e vai nos apresentando novos personagens. Muitos temas devem ganhar algum desfecho na segunda temporada ou estaremos tão perdidos quanto o Bruto em um determinado momento da série ao se deparar com algo surreal.

Juntando tudo isso e tendo a história do Composto V gerando pontas que nos levam para o futuro, e de certa forma, boa parte do seu caso encerrado por aqui, a segunda temporada deve render melhores momentos e desenrolar para a história e muitos indicam que ela é de fato muito boa. Num futuro próximos vamos conversar sobre ela, até lá, comente sem spoiler o que vem achando da série.

The Boys é uma série exclusiva do Amazon Prime Vídeos e na TV aberta é exibida no SBT nas madrugadas de Sábado para Domingo até que o Silvio Santos altere a programação por motivos de que ele manda na emissora dele.