E vamos chorar as mágoas!


A Semana 2 do especial Não Volte Nunca mais 2020 chega a um som deveras especial - e olhe que o da semana passada já foi lindo. Hoje vamos de Lady Gaga! Eu nunca fui tiete da moça, mas vim para 2020 decidida a ouvir mais dela, se possível algum álbum. Quisera as ironias que ela voltasse ao pop com o Chromatica, e cá estamos. Daí não tem como fugir da maravilhosa Rain on Me.

Primeiro, uma OBS rápida: Chromatica é um álbum fantástico. Toda capacidade que a Gaga já tinha de fazer música conceitual com batida de balada, e letras super intimistas, foi para outro patamar. O dueto com a Ariana Grande rendeu uma grande experiência para as duas, e ainda maior pra mim.

Ironia: no dia que o clipe foi lançado, eu vinha numa problemada que só, e atravessando uma das várias crises pessoais. Eu não tava legal, tava chorosa e com raiva de tudo. Daí veio a notificação do clipe, eu vi pelo celular e chorei na mesma hora. A música disse tudo que eu precisava ouvir, na hora em que eu mais precisava ouvir, e que ninguém dava a mínima.

Eu adoro essa música. Uma batida gostosa, contagiante e positiva. Tem tom de hino da sobrevivência, sabe? Considerando o contexto da música, zero surpresa. O verso I'd rather be dry, but at least I'm alive então, foi uma bicuda bem no pessoal.

Motivo: 2020 tem sido um ano mega difícil pra mim. A luta contra a ansiedade ficou mais difícil, pois em vários momentos ela virou pânico. São dois diabos que eu conheço não é de hoje, mas por uma série de motivos, tudo piorou esse ano - e a pandemia não foi a razão principal/definitiva nesse enrosco. Tem sido todo dia uma luta diferente, por motivos diferentes, iguais e novos.

Recentemente, entretanto, eu tô tentando focar nessa música, nesse verso e umas coisas que a minha mãe às vezes me aconselha. O ano passou milhas de ser bom, ideal e positivo em muita coisa. Em outas foi até uma surpresa, mas é história pra nossa retrô de fim de ano. Eu queria não ter passado pelas crises que já foram, e as que existem atualmente? Pode contar que sim. Mas não deu jeito. Eu tô viva, e isso é um baita presente.

Estar vivo é sempre se abrir ao risco de mais stress, e que tudo pode sair do controle. Mas também é se abrir para dias melhores, para chance de viver, e não apenas sobreviver. Mesmo com os traumas, é certo e sabido que a sensação de estar vivo e querendo se recuperar das pendengas é boa demais.

E um caminho para isso é a música. Então vem comigo:
 

Letra

I didn't ask for a free ride
I only asked you to show me a real good time
I never asked for the rainfall
At least I showed up, you showed me nothing at all

It's coming down on me
Water like misery
It's coming down on me
I'm ready, rain on me

I'd rather be dry, but at least I'm alive
Rain on me, rain, rain
Rain on me, rain, rain
I'd rather be dry, but at least I'm alive
Rain on me, rain, rain
Rain on me

Rain on me
Mmm, oh, yeah, baby
Rain on me

Livin' in a world where no one's innocent
Oh, but at least we try, mmm
Gotta live my truth, not keep it bottled in
So I don't lose my mind, baby, yeah

I can feel it on my skin (it's comin' down on me)
Teardrops on my face (water like misery)
Let it wash away my sins (it's coming down on me)
Let it wash away, yeah

I'd rather be dry, but at least I'm alive
Rain on me, rain, rain
Rain on me, rain, rain
I'd rather be dry, but at least I'm alive
Rain on me, rain, rain
Rain (rain) on (on) me

Rain on me
Rain on me
Oh, yeah, yeah
Rain on me, ooh yeah
Rain on me
Rain on me, ooh

Hands up to the sky
I'll be your galaxy
I'm about to fly
Rain on me, tsunami
Hands up to the sky
I'll be your galaxy
I'm about to fly
Rain on me (rain on me)

I'd rather be dry, but at least I'm alive (rain on me)
Rain on me, rain, rain
Rain on me, rain, rain (rain on me)
I'd rather be dry, but at least I'm alive (at least I'm alive)
Rain on me, rain, rain (rain on me, babe)
Rain on me (rain on me)

I hear the thunder comin' down
Won't you rain on me?
Eh, eh, yeah (rain on, woo)
I hear the thunder comin' down
Won't you rain on me? (Me)
Eh, eh, yeah
Rain on me