O Looke, plataforma com maior diversificação de títulos do país, exibe a edição online do 15º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo, entre 9 e 16 de dezembro. Os filmes poderão ser acessados gratuitamente em todo território nacional pelo endereço www.festlatinosp.com.br ou diretamente na plataforma Looke. As produções estarão disponíveis a partir das 20h00 de 9/12 até o final do evento, com limitação do número de visualizações estabelecido por seus produtores/distribuidores.

O Festival contará com 36 filmes, que serão exibidos em três plataformas, representando 15 países da América Latina e Caribe: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Equador, Honduras, México, Panamá, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela.

O Looke exibe a Mostra Contemporâneos com 16 filmes, sendo quatro deles inéditos no mundo e quatro inéditos no Brasil. 

O evento é realizado pela Associação do Audiovisual, com patrocínio da Spcine e correalização do Sesc São Paulo. Conta com o apoio dos consulados sediados em São Paulo dos seguintes países: Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai e Uruguai.

As três plataformas parceiras - que disponibilizam a programação de filmes do festival a partir das 20h00 do dia 9/12 e até o final do evento - são Looke, Sesc Digital e Spcine Play. Os filmes ficam disponíveis até atingirem o número de visualizações estipulados pelos produtores e distribuidores dos filmes.

A direção do 15º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo é assinada por João Batista de Andrade, Francisco Cesar Filho e Jurandir Müller.


CONTEMPORÂNEOS EXIBIDOS NO LOOKE

“Batalha” - Cristiano Burlan (Brasil-SP, cor, 75 min, 2019, 12 anos)

Na periferia leste da cidade de São Paulo, um grupo de jovens se reúne em batalhas de rima (slams) e trazem a poesia para a realidade de suas vidas. As batalhas de poesia, poetry slams, ou apenas slams, surgiram nos Estados Unidos na década de 1980. Nestas batalhas, os poetas devem ler ou apenas recitar, sem acompanhamento musical, poesias autorais. A apresentação não pode ultrapassar três minutos. Participam Cleyton Mendes, Daniela Rosa, Dunstin Farias, Emerson Alcalde, Isaac Quaresma, Jé Versátil, Matheus Farias e Patrícia Meira. O título estreou no 52º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, em 2019.

“Desenhos Contra as Armas” - Alicia Calderón (“Dibujos Contra las Balas”, México, 90 min, 2019, 12 anos)

Vizinhas de Ciudad Juárez organizam refúgios infantis em algumas das colônias mais violentas do México. Diana, Joseph Bryan e Gael buscam ali a liberdade que perderam nas ruas e tentam curar as feridas que a violência do crime organizado deixou neles. Um retrato amoroso sobre a busca de paz no México. 

* inédito no Brasil

“Domicílio Incerto” - Davi Mello e Deborah Perrota (Brasil-SP/Itália, 43 min, 2020, livre)

Entre os meses de abril e julho de 2020, os cineastas Davi Mello e Deborah Perrotta trocaram vídeo-cartas. Ele, em São Paulo. Ela, em Turim. 

* pré-estreia mundial

“Filho de Boi” - Haroldo Borges (Brasil-BA, 91 min, 2019, 10 anos)

João vive no sertão da Bahia. O vínculo entre ele e seu pai está partido. No limiar da adolescência, João quer fugir desse lugar, onde parece não haver possibilidades dele se encaixar. Um dia, um pequeno circo chega na cidade e essa parece ser a oportunidade perfeita. O filme lança luz sobre um Brasil contemporâneo, num universo de masculinidade e preconceito onde é urgente reinventar-se.

“Filmefilia” – Um Fax para Godard” – Well Darwin, Eduardo Bonzatto, Sergio Gag e Stela Ramos (Brasil-SP, 83 min, 2020, livre)

Originalidade num tempo de cópias malfeitas, um inventário fílmico de um tempo esquisito, um caleidoscópio de imagens, num constante jogo de rupturas e continuidades. Tudo isso a partir de 365 vídeos publicados numa página do Instagram no ano de 2018, somados a uma trilha sonora original e a um texto adaptado da peça “Diálogo de Um Homem Vil”, de Friederich Dürrenmatt, texto que sintetiza bem nosso tempo. No elenco estão Tata Anastácio e Francisco Gaspar.

* pré-estreia mundial

“Harley Queen” - Carolina Adriazola e José Luis Sepúlveda (“Harlley Queen”, Chile, 100 min, 2019, 12 anos)

Uma mulher deseja encontrar a sua identidade através de um personagem supervilã, dançarina e mãe, na região Bajos de Mena, ou conhecido como “o maior gueto do Chile", em Puente Alto, na cidade de Santiago. Com Carolina Flores.

* inédito no Brasil

“Killa” - Alberto Muenala (“Killa”, Equador, 61 min, 2017, livre)

Umas fotografias e uma notícia num momento inoportuno são os detonates de uma história de amor, racismo e perseguição entre uma jornalista (Alicia) e um fotógrafo kichwa (Sayri). Um dirigente assume a defesa de uma comunidade contra uma companhia mineira; esta determinação leva a um confronto pessoal com um alto funcionário do governo e repercute nas vidas de Alicia y Sayri. No elenco estão Sherman Cabascango, Marcela Camacho, Carlos Guerrón e Alejandro Cabascango.

* inédito no Brasil

“La Prata Yvyguy – Enterros e Guardados” - Marcelo Felipe Sampaio e Paulo Alvarenga (Brasil-MS-SP/Paraguai, 70 min, 2016, 10 anos)

Sobre as lendas sobre tesouros guardados durante a Guerra do Paraguai, o maior conflito armado ocorrido na América Latina, travado entre 1864 e 1870 entre o Paraguai e a Tríplice Aliança (composta pelo Brasil, Argentina e Uruguai) e que resultou em 440 mil mortos. Tais tesouros teriam o poder de tornar rico quem os encontrasse e para achá-los só há um caminho, o mostrado por fantasmas que estão presos para sempre em seus pertences. “Plata Yvyguy” significa tesouro enterrado.

“Mapa de Sonhos Latino-americanos” - Martín Weber (“Mapa de Sueños Latinoamericanos”, Argentina/México/Noruega, 91 min, 2020, livre)

Martín Weber fotografou várias pessoas na América Latina, pedindo a eles para escrever os seus sonhos numa lousa. Depois de mais de dez anos, ele começa uma nova viagem para procurar as mesmas pessoas e ter o depoimento sobre a América Latina através das vidas delas.

“Música para Ninar Dinossauros” - Mário Bortolotto (Brasil-SP, 87 min, 2019, 16 anos)

São três amigos já cinquentões que incapazes de ter relações convencionais com mulheres, sempre chamam garotas de programa para lhes fazer companhia. São os sujeitos que nasceram nos anos 60, com todas as explosões de rebeldia e busca de liberdade. É o check-up de uma geração que está no contra-pé de uma vida aparentemente libertária. Com Lourenço Mutarelli, Mário Bortolotto, Paulo De Carvalho, Carca Rah, Francisco Eldo Mendes, Marcelo Selingardi, Ana Rita Abdalla, Helena Cerello, Marcela Pignatari, Adriana Guerra, Carolina Cardinale e Renata Becker.

“Os Segredos do Armário” - Nicolás Teté (“Todos Tenemos um Muerto em el Placard o um Hijo em el Clóset”, Argentina, 104 min, 2020, 12 anos)

Manuel viaja à cidade onde ele nasceu para o aniversário de bodas do pai e da mãe na procura de conseguir dinheiro para poder morar com seu namorado na Dinamarca. Na última visita à sua família, ele “saiu do armário” e a relação ficou mais complicada. Os planos mudam quando o namorado o abandona. Na viagem descobre um segredo da família e serve para reafirmar o vínculo com o pai e a mãe e para entender melhor o que ele quer para o futuro. Com Facundo Gambandé, María Fernanda Callejón, Diego de Paula, Antonella Ferrari, Norma Argentina, Mateo Giuliani, Pablo Valdes e Lucas Ferraro.

* inédito no Brasil

“Ozu Piroclástico” - Well Darwin (Brasil-SP, 81 min, 2020, 10 anos)

Os fluxos piroclásticos (também conhecidos como nuvem piroclástica ou onda piroclástica) são o resultado devastador de algumas erupções vulcânicas. Constituem corpos fluidos, compostos de gás quente e piroclastos (cinza e pedra) que podem viajar com velocidade de até 160 km por hora. No caso em questão, a erupção é o Cinema Marginal e os fluxos piroclásticos são batizados de Ozualdo R. Candeias. 

* pré-estreia mundial

“Relatos de Reconciliação” - de Ruben Monroy e Carlos Santa (“Relatos de Reconciliación”, Colômbia, 67 min, 2019, 16 anos)

“Relatos de Reconciliação” é um projeto transmídia que interpreta artisticamente as entrevistas e depoimentos de algumas vítimas que sofreram distintos tipos de violência na Colômbia. 

* inédito no Brasil

“Rompecabezas” - Dellani Lima (Brasil-SP, 80 min, 2020, 16 anos)

Um grupo de militantes deslocado no tempo decide sequestrar um ex-torturador. Baseado na peça "Roda Morta - Uma Farsa Psicótica", de João Mostazo. Com Biagio Pecorelli, Clayton Mariano, Felipe Carvalho, Ines Bushatsky, Mariana Marinho, Mau Machado e Pedro Massuela.

* pré-estreia mundial

“Um Dia Qualquer” - Pedro von Krüger (Brasil-SP, 89 min, 2020, 16 anos)

Sob as máscaras e fantasias de mais um dia nos subúrbios cariocas, se esconde a intensa realidade das famílias e vizinhos que vivem em um bairro sob o domínio da expansiva milícia. Com Mariana Nunes, Augusto Madeira, Vinícius de Oliveira, Tainá Medina, Juan Paiva, Willean Reis e Eli Ferreira.

* pré-estreia mundial

“Zona Árida” - Fernanda Pessoa (Brasil-PR, 76 min, 2019, 12 anos)

Em 2001, a diretora brasileira Fernanda Pessoa, aos 15 anos, vive a experiência de ser uma aluna de intercâmbio por um ano em Mesa, no Arizona, considerada a cidade mais conservadora dos EUA. 15 anos depois – e dois meses antes da eleição de Donald Trump – ela retorna para tentar entender sua experiência lá. No elenco estão Brandon Lax, Brek "EJ", Jan Estrin, Kristen Lax, Mike Casillas, Pam Hanny, Peter Caruso, Ricky Gonzalez e Victor Hanny.


Serviço:
15º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo

9 a 16 de dezembro de 2020

online e gratuito


realização: Associação do Audiovisual
patrocínio: Spcine
correalização: Sesc São Paulo
apoio: consulados sediados em São Paulo - Argentina, Chile, Colômbia, Cuba, Equador, México, Paraguai e Uruguai
plataformas parceiras: Looke, Sesc Digital e Spcine Play

Via Looke