Terminou janeiro. Férias? Nem do trabalho, nem do stress


O primeiro mês de 2021 tá na conta. Janeiro foi estranho: a gente se dividiu entre o semi recesso do site, o retorno, e o offline estressante como se agosto de 2020 nunca tivesse terminado. Felizmente a gente passou esses dias em boa companhia, né? Falar de Phil Collins é difícil, porque é fácil falar de um dos heróis da minha vida, que fica difícil parar de falar, risos. Fechamos o mês com a prosa boa e musical de Both Sides of the Story.

Eu adoro essa música. É aquele mesmo esquema de soft rock acessível, boa guitarra e bateria marcante. A letra é uma das melhores que ele escreveu, e uma das melhores que eu ouvi na vida - e eu já ouvi muita coisa. No geral, o álbum Both Sides volta à melancolia sombria do Face Value e Hello, I Must Be Going!, falando de temas pessoas e políticos. A pegada temática também lembra muito Long Long Way to Go, mas com uma crítica ainda mais direta: 

A gente precisa ouvir os dois lados da história.

Na era das redes sociais, esse conceito ficou velho. Todo mundo é perfeito, moral impecável, valores da maior qualidade, e incapaz de aceitar um lado da história que não seja o seu próprio. A gente não sabe mais exercitar a empatia, de sentir a dor do outro. A dor do outro só importa se for interessante pra mim. Fugiu disso, a gente ignora.

Mesmo que o outro lado da história não seja bom, ou você não concorde, é importante ouvir. Por mais que eu odeie o jornalismo - e eu odeio - esse hábito eu levei pra vida no geral: checar todos os fatos. E é nessas horas que você lembra daquela matemática simples, das antigas: uma história tem o seu lado, o meu e o verdadeiro. E não necessariamente esse último tem relação com os outros dois.

Ouvir Both Sides of the Story é um exercício musical de empatia e reflexão. Tantas vezes eu vi pessoas, vi situações, e pensei coisas. Mas será que o que eu pensei era a verdade? Não seria só um lado de seja lá qual for a história? Como hoje em dia todo mundo só corre atrás de like, RT e passar uma imagem de santo(a) imaculado(a), quem se importa. Certo?

Pelo menos a gente tem o Mestre pra ensinar o caminho das coisas certas:


Letra

Find yourself in the gutter in a lonely part of town
Where death waits in the darkness with a weapon to cut some strangers down
Sleeping with an empty bottle, he's sad and an empty hearted man
All he needs is a job, and a little respect, so he can get out while he can

We always need to hear both sides of the story

A neighbourhood peace is shattered it's the middle of the night
Young faces hide in the shadows, while they watch their mother and father fight
He says she's been unfaithful, she says her love for him has gone
And the brother shrugs to his sister, and says "looks like it's just us from now on"

We always need to hear both sides of the story

And the lights are all on, the world is watching now
People looking for truth, we must not fail them now
Be sure, before we close our eyes
Don't walk away from here
'Til you hear both sides

Here we are all gathered in what seems to be the centre of the storm
Neighbours once friendly now stand each side of the line that has been drawn
They've been fighting here for years, but now there's killing on the streets
While small coffins are lined up sadly, now united in defeat

We always need to hear both sides of the story

And the lights are all on, the world is watching now
People looking for truth, we must not fail them now
Be sure, before we close our eyes
Don't walk away from here
'Til you hear both sides

White man turns the corner, find himself within a different world
Ghetto kid grabs his shoulder, throws him up against the wall
He says "would you respect me if I didn't have this gun
'Cos without it, I don't get it, and that's why I carry one"

We always need to hear both sides of the story