Um som pra gente curtir: Doro - Love Me in Black

E lá vamos nós para primeira retrô de 2021.

Janeiro foi um mês engraçado do jeito esquisito. Parar 15 dias para resolver as pendências do site era uma das nossas maiores urgências, e deu certo. Em grande parte isso só funcionou porque eu respeitei o momento, algo que há alguns anos eu ficaria histérica, risos. Eu adoro escrever, mas de uns anos para cá o corpo sente se eu jogar toda minha energia em tudo. Tem que investir os stonks com mais inteligência.

O retorno foi atropelado, claro. A minha felicidade de começar a escrever em 2021 foi enorme. Mas é uma ironia engraçada, do jeito triste: minha vida offline tá num grau de stress que tá deixando a desejar. Com isso, o começo do Armadura como projeto está melhor encaminhado, e com uma boa expectativa. Agora o que eu quero é viver para construir e te contar essa história.

Ainda não é fácil

Ano passado foi um teste de fogo e o ritual de passagem para o projeto. Agora que nós carimbamos o novo status e a nova era, isso anima de produzir conteúdos cada vez melhores. Nós não temos o maior site do mundo, mas o mais honesto e esforçado, isso eu garanto.

O jornalismo independente, e a produção de conteúdo para web são dois sonhos possíveis, mas passam longe de ser fáceis. Se alguém te falar que é mamão com açúcar, que é só arrastar pra cima, desconfie: não é. Na internet, tudo que vem fácil tem um risco, ou qualidade muito baixa. Mesmo o que a gente faz tem o risco de não emplacar, mas pelo menos tem qualidade.

Um velho problema sempre atual

Essa Via Dolorosa fica ainda mais difícil por causa do próprio pequeno - como eu chamo quem produz conteúdo para web de forma independente. Passam os anos, mas uma coisa que eu e o Renan vemos na WWW nunca muda: as pessoas gostam da ideia de se ajudarem, quando gostam. Na hora do vamos ver, todo mundo some.

A lista de experiências desse tipo que a gente acumula desde o Hardmetal Brasil é grande. Eu tive que aprender na marra a hora de insistir e desistir, que às vezes as pessoas são legais pra gente manter por perto como amigo, mas não como colega de trabalho. E não tem jeito, não tem como correr de uma das situações mais corriqueiras do pequeno. Ou você aprende a lidar, ou aprende a lidar.

Ir além das nerdices

Uma das minhas principais ideias é produzir conteúdo além de notícias, reviews, essas coisas de dia-a-dia. Eu quero me aproximar mais de você, tornar a experiência de acessar o site maior, melhor e ainda mais completa. O que me incentivou a isso em 100% foram dois vídeos do Poladoful - esse e esse.

Tem site que adora conquistar os leitores com base na polêmica e no stress. Não tem uma coisa boa de verdade ali. Eu sei, porque eu participei de um projeto assim, e não tem um dia no qual eu não sinta um grande desgosto. Mas foi uma lição enorme de tudo que eu não quero fazer aqui no Armadura Nerd. Eu quero que seja o nosso espaço pra gente falar sim, das polêmicas, mas mais ainda das coisas boas.

Virou crime se divertir e ser feliz com as nerdices e popices. Mas não aqui.

E vem aí

Não é só isso, entretanto. Tem mais conteúdos legais que a gente está preparando para o site, enquanto o canal da Twitch continua crescendo. É outro capítulo na história do Armadura Nerd que a gente vem vivendo, e que tem sido muito legal. Ainda não segue a gente? Passa lá, escorrega o follow, escorrega o sub ou o prime, e vem que a qualidade da gameplay a gente não garante. O entretenimento, por sua vez, esse tá sempre garantido e da melhor qualidade sempre.

Eu tinha um zilhão de coisas para conversar, mas por motivos de exaustão e começo de ano, decidi que era melhor a gente ter essa conversa mais padrão. Assim se você tá chegando agora, já fica por dentro dos nossos bem bolados. Se você já é da casa, continue com a gente que a viagem vai ser doida. Mas vai valer a pena.

Ah! E se você quiser chegar lá no meu Twitter, ou dar uma espiadinha na minha Last.fm, é só chegar.

Solta o play


Play retrô


Outros links