- Um som pra gente curtir: Epica - Gaia
- Leia a retrô de janeiro

Fevereiro foi um mês muito maior que 28 dias. Teve extra de stress, tensão e momentos pra gente questionar a sanidade. Tanta notícia desanimadora, pessoas idiotas no nosso dia-a-dia, e a saudade das nerdices que a gente nunca viveu tipo Viúva Negra. Cheguei a desconfiar se não era agosto de 2020, um dos piores meses que eu vivi em anos, disfarçado de fevereiro.

Por isso eu resolvi reunir alguns lances que resumem o mês que durou três meses.

Teve stonks sim

Provando que tudo aconteceu em fevereiro, a gente entrevistou o Flakes Power. Com 23 anos, ele é um dos principais produtores de conteúdo de Fortnite do Brasil, e alguém interessante de conversar. A entrevista rendeu respostas bem boas, que mesmo você nem gostando do game, eu recomendo ler. E por que não, divulga o link como quem não quer nada pra alguém que você conhece e gosta do Flakes. :)

E a saúde, ó

Obviamente fevereiro testou de novo o limite da minha saúde emocional. A vida já tinha complicado uns anos antes da pandemia, então a culpa não é totalmente do vírus. Com a gente tanto tempo em casa, os sentimentos ruins atingem igual um caminhão. Por isso eu repito o que falei no Pokémon Day: quero usar as minhas experiências ruins pra me conectar com você mais um pouco. Jornalismo independente é incrível, mas tem muito menos do glamour que a galera diz.

De boas ideias o inferno tá cheio (imagine das estúpidas)

Cerca de 130 artistas italianos e casas de shows participaram de uma iniciativa, para alertar sobre o futuro incerto dos eventos musicais. Um deles foi o Lacuna Coil. A banda promoveu o evento como um show que aconteceria, com transmissão grátis. A transmissão aconteceu, mas a banda subiu ao palco e... Ficou em silêncio. O protesto é válido, e a mensagem é nobre. Mas a execução foi muito pobre e teve o efeito inverso: deixou o pessoal ainda mais irritado. Até eu fiquei, quanto entendi o que aconteceu.

Talvez eu fizesse um texto à parte sobre isso, mas a ideia foi tão ruim, que olha... Não merece.

Mas tivemos ideias boas de verdade

Não vou encerrar a retrô falando de estupidez, então vamos falar de coisa boa. Fevereiro saíram os trailers dos filmes da Cruella e Mortal Kombat, e foram duas ótimas surpresas. Emma Stone de Cruella já nasceu icônico, e Sub-Zero aparentemente vilão, foi uma mudança muito bem-vinda.

A música também deu motivos pra sorrir. Terminei o mês mais ligada no metal, mas o novo álbum do Epica é muito bom. Não quero falar demais sobre isso, porque... Talvez a gente ainda volte nesse tema. O novo do Evergrey é pesado e melancólico como eu imaginava e precisava. Há tempos eu não ouvia a banda. Até o novo álbum da Anneke Van Giersbergen passou aqui, e eu amei cada minuto.


Solta o Play

Play Retrô

Waka Talk

Da casa

Outros textos