Em vídeo do canal Alternative Press, a vocalista Amy Lee falou sobre como a antiga gravadora do Evanescence ameaçou não publicar Fallen, álbum de estreia da banda. Segundo ela, a condição era adicionar uma voz masculina ao single Bring me to Life, para tornar a música mais "amigável para as rádios."

"Eu era muito, muito contra ter qualquer vocal masculino na nossa música. Isso foi muito difícil. E foi uma ideia que veio da gravadora. E de repente tudo se tornou sobre Bring Me To Life; eles decidiram que essa era a música. Na verdade, não achei que deveria ser o primeiro [single]; queria que fosse Going Under. Eles tiveram a ideia de ter algo ali que seria familiar para os ouvintes para nos colocar no rádio. Eu realmente não entendi o que isso significava."

Bring me to Life tem a participação do vocalista do 12 Stones Paul McCoy. O single chegou ao quinto lugar da Billboard Hot 100 norte-americana, e foi o primeiro single do Evanescence a alcançar o topo das paradas no Reino Unido. Mas os problemas não pararam por aí.

Amy Lee conta que o Evanescence também se desentendeu com a gravadora, pois ela queria que a banda fizesse audições para colocar alguém em tempo integral - e tentar transformar no "Linkin Park feminino." A vocalista relembra que não quis aceitar a decisão da gravadora, e como resultado, a banda perdeu o financiamento e ela voltou a morar com os pais. "Foi difícil, mas no meu coração, que estava partido, eu sabia que era melhor do que a alternativa."

Foi então que o Evanescence recebeu um telefonema para incluir Bring me to Life na trilha sonora do filme Demolidor - O Homem Sem medo. "Então agora existe um motivo. E tem que ser apenas uma música; não precisa ser toda a mudança deda sua identidade."

Por fim, Amy Lee diz que estava muito preocupada com a recepção da música, que o público ouvisse Bring me to Life, e pensasse que o Evanescence sempre fosse soar desta forma. "Eu odeio quando você ouve o primeiro single de uma banda e pensa que eles são uma coisa, e então ouve o restante do álbum e fica 'Oh, não é o que eu pensei que fosse'. Você fez isso para me atrair e então me enganou."

Apesar disso, ela disse que adorou Bring me to Life, e elogiou a colaboração com Paul. Eu nem sempre quero falar sobre isso como se não gostasse [da contribuição dele]. Eu amo ele. Éramos apenas crianças em uma época louca."

Depois de dez anos sem nenhum material inédito, o Evancescence lançou no dia 26 de março o álbum The Bitter Truth. E aí, já deu uma espiadinha? Aproveite que você ficou até agora, e veja a entrevista completa da Amy para o Alternative Press: