Imagem: Divulgação

No ano que não tivemos carnaval, recebemos diversos compensações no entretenimento, e entre tantas coisas nós tivemos uma grande e agradável surpresa: Yakuza Like a Dragon foi totalmente localizado para o Brasil. Será que ficou bom? Vamos falar um pouco sobre o trabalho realizado.


Yakuza para leigos da série

A série principal dos games Yakuza contam a história de Kazuma Kiryu (桐生一馬) , o Dragão de Dojima. Quando a vida dele começaria a ter uma boa guinada, vemos o protagonista da série envolvido em uma situação muito complicada com o assassinato do líder do seu clã, Sohei Dojima, e Kazuma acaba aceitando a acusação e vai preso.

Após 10 preso Kazuma está em liberdade é chamado para retornar a Kamurocho e partir daí, começamos a jogar Yakuza/Yakuza Kiwami. A partir desse momento você está mais do que convidado a ir com tudo na série e viver o drama narrativo que é um dos pontos altos da franquia.

Yakuza Like a Dragon

Já em Yakuza Like a Dragon assumimos o papel do estabanado protagonista Ichiban Kasuga (春日 一番). Apesar de ser um personagem totalmente novo, Ichiban compartilhar muitas similaridades com Kazuma, principalmente serem órfãos que se tornam yakuza.

Assim como Kiryu, Ichiban assume a culpa por um crime que não cometeu para proteger a família, e, após cumprir 18 anos de pena, descobre que seu clã está praticamente extinto e os membros sobreviventes são perseguidos nas ruas. Boatos indicam que o ex-patriarca é o responsável por isso.

Diferente da série principal que nós temos um acesso melhor e maior ao passado de Kiryu com Yakuza 0 servindo como prequel, Yakuza Like a Dragon nos traz a história completa para viver com Ichiban, até mesmo o passado do patriarca ganha destaque para nos situarmos no game.

Um game Yakuza mas diferente

Imagem: Divulgação

Apesar da série principal ter alguns elementos populares do RPG como progresso com árvore de habilidades, em Yakuza Like a Dragon nós finalmente temos um RPG da série em todos os aspectos. Logo que começamos e temos a primeira briga, isso fica muito claro para nós.

Com as batalhas em turno sem que isso fique muito na cara com a suavidade entre as ações nossas, e dos adversários, vemos as opções de ataque, ataque especial, defesa, itens. Seja você novato ou veterano, os momentos de combate serão muito intuitivos de serem feitos e as estratégias para manter seu time inteiro, também.

Assim como vemos nos demais a liberdade para andar por Kamurocho com um pouco mais liberdade. Junto com isso temos um ligeiro aumento nas possibilidades de termos encontros aleatórios enquanto estamos na ruas. Garantir um XP extra batendo em vagabundo nunca é problema, não é mesmo?

Imagem: Divulgação

Uma das melhores coisas que isso nos gera é o de explorar as lojas e conseguir falar mais NPCs, e isso, exibe ainda mais como a tradução para português do Brasil está muito bem feita e localizada. Existem erros? Sim, contudo, são bem, mas bem pouco e não são nada que possam atrapalhar sua legenda. Se você usa "internetês" demais nem vai notar os pequenos erros de tradução/digitação.

Mas como estamos falando das ruas de Kamurocho uma das coisas mais divertidas e legais que podemos fazer é visitar a loja da SEGA no centro do bairro. Nela podemos jogar arcades e máquinas UFOs, assim como aquelas que você viu aqui. Você pode esquecer facilmente da vida nesses minigames.


Concluindo

Yakuza Like a Dragon muda o estilo mas mantém todo o espirito da franquia em todos os aspectos do game. Aliada a gameplay que continua te fazendo em se sentir em casa, o lado das músicas e efeitos sonoros continuam como características fortes do game.

Caso você nunca tenha jogado algum game da série, Yakuza Like a Dragon se torna uma boa porta de entrada para você iniciar na franquia, e, após terminar essa saga ir com tudo para Yakuza Zero, Yakuza 1 ou Kiwami, e indo na sequência numérica que é GG.

A versão utilizada foi a de Steam, Yakuza Like a Dragon também está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One e Xbox Series S|X.