Após o fim de "WandaVision" o novo passo dado no MCU veio com "Falcão e o Soldado Invernal" e indo em uma pegada totalmente diferente, afinal, na primeira série vimos como Wanda lidou com seu luto pós "Vingadores Ultimato" e seus passos para o próximo filme do Doutor Estranho no qual ela participará. Agora, vamos ver como foi a vida dos guardiões do Escudo: Sam e Bucky.


Sinopse


Falcão e o Soldado Invernal, é uma minissérie estadunidense criada para o Disney+ por Malcolm Spellman, baseada nos personagens da Marvel Comics Sam Wilson/Falcão e Bucky Barnes/Soldado Invernal. A série é ambientada no Universo Cinematográfico Marvel, compartilhando continuidade com os filmes da franquia.

Espere bem mais do que ação e risos

Para aqueles que erradamente taxam qualquer produção Marvel como comédia com algumas cenas de ação, "Falcão e o Soldado Invernal" vem como um belo shoryuken nesses que pulam despretensiosamente. De forma simples e próxima de cenas da vida real, a série te joga temas na cara para lhe fazer refletir, você mesmo que veja o olho para o mundo.

A série entrega a ação que muitos podiam imaginar que faria parte da série, e, com alguns retornos de personagens, você se empolga para esses momentos e muito pela participação desse retorno ao MCU. Se você assistiu o segundo e o terceiro filme do Capitão America, já sabe o tom que pode esperar da série.


Sutil tapa na cara da sociedade

Entre tantas coisas da séries uma cena do segundo episódio foi bem marcante, e de certa forma, muito gritante com a realidade. Realidade que alguns alegam não existir, ou por algum motivo real, nunca viram acontecer. Teremos um leve spoiler agora.

Ao visitarem um personagem em um bairro cuja maioria dos moradores são negros, Sam discute com Bucky sobre o fato que ele acabou de descobrir e nunca comentaram sobre isso. Mesmo que haja uma exaltação de Sam enquanto Bucky não tem muito o que dizer, surge a polícia e você já consegue imaginar a cena.

Um dos policiais pergunta a Bucky se está tudo bem e ignora qualquer coisa que Sam vem a dizer, até que, ele pede identidade para o Falcão e o mesmo se recusa. Após um leve momento de climão o outro policial diz no ouvido do seu parceiro "eles são Vingadores". Com a cara no chão o policial pede desculpas pelo ocorrido e por não ter reconhecido o Falcão.

Mesmo sendo um dos heróis do mundo, um homem de honra e bem resolvido da sua vida, nem mesmo o Falcão ficou pune de ser vitima de racismo!


Extremismos

A trama da série começa a puxar seu fio quando Sam acredita que o Escudo de Steve Rogers deveria ser aposentado, e assim, em vez de empunha-lo e torna-se o novo Capitão America como poderíamos deduzir ao final do "Ultimato", o Falcão acredita que não deve ser esse seu rumo e devolve o Escudo para o Governo.

Com isso vemos que quer ele queira ou não, o país sente que um símbolo ainda se faz necessário e vemos o nascimento de um novo Capitão América: John Walkers. O veterano de guerra demonstra ter qualidades necessárias para tais responsabilidades com o Escudo. Será que com o tempo isso se comprovou?

O mundo pós blip (a metade que desapareceu com o estalo de Thanos) ficou muito diferente com a volta da outra metade que ficou cinco anos em algum limbo, no pó, sabe se lá como é a experiência de ser blipado, e, voltar em um mundo que parece o mesmo, contudo, possuí diversas mudanças? Com isso temos uma discussão em como lidar com o retorno dessa galera.

Muitos se tornaram refugiados por "n motivos" e pense um pouco caro leitor, se você tivesse sido blipado e ao retornar, encontra outra família vivendo na sua casa, como resolve esse problema por exemplo? Com dilemas como esse e maiores, temos um grupo que quer resolver isso por bem ou por mal, mesmo que o lado mal não pareça ruim na cabeça da líder.


Novos rumos e personagens

A série obviamente nos mostra a jornada que ganha espaço na vida de Sam pós a entrega do escudo e ver que o mesmo, deveria voltar para seus cuidados. Especialmente após o final do episódio quatro. O desenvolvimento de Sam Wilson é algo muito bem trabalhado nos levando até o destino que todos nós imaginamos para ele.

Da mesma forma o Soldado Invernal finalmente consegue encontrar um rumo e como viver no nosso mundo com seus 100 anos de idade e sabemos bem como são as pessoas hoje. Novos personagens surgem e deixam novas pontas para querermos ver quais serão seus rumos futuro. 


Resumindo

"Falcão e o Soldado Invernal" provavelmente surpreenderá muitos e após seis episódios e conclusão da série, o resultado será muito satisfatório. É justo dizer que foi uma série do Capitão America sem a necessidade de ter Steve Roger. Isso é um ótimo sinal para o futuro do MCU.

Após mais de 10 anos acompanhando o desenvolvimento dos personagens principais e após a luta contra Thanos, tivemos que nos despedir de alguns, ver que os novos heróis que terão os holofotes em si na Fase 4, é um vom sinal para os projetos futuros. Que venha agora a série do Loki.

"Falcão e o Soldado Invernal" está disponível no Disney+