Com uma campanha irretocável, a Team Liquid faturou a primeira edição do ano da Copa Elite Six da América, a “Libertadores do R6”. Na grande final, a organização venceu o MIBR - algoz na decisão do BR6 2020 - por 2 a 1 e levantou a cobiçada taça. O campeonato terá mais duas edições durante a temporada, sempre ao final de cada turno do Brasileirão, com participações das seis melhores colocadas da tabela da competição nacional. Nesta primeira edição, amplo domínio do país, com semifinais 100% brasileiras.

 

Na primeira fase, os finalistas estavam no mesmo grupo. A Team Liquid somou 10 pontos, ficou na liderança e avançou direto para as semifinais. Já o MIBR conquistou 9 pontos em quatro partidas pelo Grupo B e teve que passar pela mexicana Atheris Esports, que conta com os brasileiros Daniel “Novys” e Lucca “MKing” na line-up, para seguir vivo na competição.

 

Na fase seguinte, o MIBR começou bem no confronto contra a Ninjas in Pyjamas ao emplacar um 7 a 3 no mapa Chalé. No mapa Clube, uma disputa acirrada e, nos detalhes, a NiP levou a melhor: 7 a 5. O desempate ficou para o mapa Consulado, e nesse momento o time de Luca “LuKid” não deixou qualquer dúvida sobre a equipe que avançaria ao vencer por um incontestável 7 a 1.

 

Já a Liquid superou a Team oNe em uma emocionante virada para carimbar seu lugar na decisão. Após sair atrás ao ser derrotada por 7 a 5 no Oregon, a equipe de André “Nesk” venceu por 7 a 4 no mapa Mansão e deixou tudo igual na partida. No palco de desempate, Chalé, os Golden Boys abriram 6 a 2 e ficaram muito próximos de fechar a partida, mas a Cavalaria mostrou um incrível poder de reação, levou o jogo para a prorrogação e ganhou por 8 a 6.


E a finalíssima começou no mapa Oregon, com Team Liquid e MIBR se alternando no domínio do rounds até a prorrogação. No tempo extra, o atual campeão brasileiro saiu na frente do placar com uma vitória por 8 a 7. Já no mapa Litoral, a Cavalaria se impôs, em mais uma atuação impressionante de André “Nesk”, para fazer 7 a 4 e se recuperar na partida.

 

O último mapa, Consulado, foi palco de uma disputa digna de final de torneio continental. Com rounds decididos nos últimos segundos e sem nenhum dos adversários conseguir abrir vantagem, a Cavalaria chegou ao matchpoint com um 6 a 4, segurou a pressão do MIBR e fechou o jogo em 7 a 5 para faturar o título em mais um confronto acirrado do início ao fim. 

 

Com o impressionante número de 41 eliminações, Luccas “Paluh” levou o prêmio de melhor jogador da final, sendo uma das peças fundamentais da Liquid durante toda a campanha. Em seis partidas disputadas na Elite Six, o atleta levou o MVP em quatro oportunidades. Além do troféu, a equipe arrematou mais de R$ 340 mil.

 

Descrição: cid:image004.jpg@01D73A89.3E4181D0

 

“Foi um campeonato muito especial, entramos na final um pouco desconcentrados, mas superamos as dificuldades. A nossa equipe sabia de todos os problemas que o pai do ‘psk1’ está enfrentando, e essa era nossa maior motivação. Jogamos por ele, conseguimos acertar nossas táticas, equilibrar a partida e conquistar o título”, contou o eufórico Thiago “S3xyCake” após a vitória na decisão.

Muito emocionado, Paulo “psk1”, companheiro de equipe citado por “S3xyCake”, também falou sobre a importância desse triunfo: “Estou tentando não chorar, mas é bem difícil. Quero agradecer a minha equipe e todos que de alguma forma me ajudaram. Essa vitória eu dedico para o meu pai”. Nas últimas semanas, o pai do jogador se recupera de uma intensa batalha contra a COVID-19.

O coach André “Sensi” também aproveitou para comentar sobre o momento mais marcante da campanha vencedora da Cavalaria: “Sem dúvida foi na semifinal, quando estávamos perdendo por 2 a 6 no Chalé contra a Team oNe. Graças ao Nesk, conseguimos recuperar um jogo que estava praticamente perdido. Quando ganhamos o nono round, particularmente senti que não iríamos mais perder (da mesma forma que o Nesk recuperou o jogo no passado com o 5K histórico dele). A partir daquele momento, o time fez uma promessa interna de que não poderíamos sair com a derrota”.

Por conta da pandemia do novo coronavírus, o torneio aconteceu de maneira remota, com o intuito de garantir a saúde e o bem-estar dos jogadores e da equipe de transmissão da Ubisoft. Todas as partidas tiveram transmissão em português nos canais oficiais do Rainbow Six Esports Brasil na Twitch e no YouTube.

A Copa Elite Six da América terá outras duas edições em 2021 e os semifinalistas somarão pontos no ranking global para o Six Invitational 2022, além de garantirem vagas para o próximo Six Major. No caso desta primeira edição de 2021 - pela ausência do primeiro Six Major do ano por conta do adiamento do Six Invitational - as equipes não ficaram com vagas em nenhuma competição global.

O campeonato teve um aumento grande no valor da premiação distribuída nesta primeira edição. Isso por conta do cancelamento do Six Major, que aconteceria em maio, após as mudanças no calendário global impostas pela pandemia de COVID-19. Com isso, o valor total do torneio global foi destinado para as ligas regionais (Europa, América do Norte, América Latina e Ásia-Pacífico).

Premiação total da primeira edição da Copa Elite Six da América:

Team Liquid: R$ 346 mil (US$ 62.500)

MIBR: R$ 173 mil (US$ 31.250)

Team oNe: R$ 104 mil (US$ 18.750)

Ninjas in Pyjamas: R$ 69 mil (US$ 12.500)

FaZe Clan, Atheris Esports, FURIA Esports, Malvinas Gaming, Fenix Esports e 9Z Team: R$ 33 mil (US$ 6.000)

 

Total: R$ 893.320,00 (US$ 161 mil)

*Valores calculados na cotação de Real brasileiro para Dólares americanos de R$ 5,536.

Confira a pontuação de cada equipe para o Six Invitational 2022:

1º - Team Liquid: 510 pontos.

2º - MIBR: 390 pontos.

3º - Team oNe: 330 pontos.

4º - Ninjas in Pyjamas: 275 pontos.

5º - FaZe Clan: 225 pontos.

6º - Atheris Esports: 180 pontos.

7º - FURIA Esports: 140 pontos.

8º - Fenix Esports: 115 pontos.

9º - Malvinas Gaming: não pontuou.

10º - 9z Team: não pontuou.


via Press FC