A streamer "supcaitlin" foi banida da Twitch por “traje impróprio” após usar uma fantasia de coelho, apesar de ser um dos muitos streamers que participam regularmente da nova tendência de streams de banheira (hot tube meta). A streamer suspeita que houve report em massa como motivo por trás de seu ban.


Nos últimos anos vemos diversas tendências surgirem e sumirem na Twitch com variados tipos de games tendo seu momento na plataforma, mas, após o boom do Among Us, a plataforma foi ganhando mais destaques na sua categoria de vida real e só na conversa, e agora, vive a fase das lives da banheira.

O "atual meta" gerou recentemente uma discussão entre audiência e criadores e segue vivo tendo paródia ou final trágico. Agora vemos "supcaitlin" ser banida por usar roupa de coelhinha em sua live da banheira, e note, que a banheira não foi motivo para o ban.


As regras da Twitch afirmam: “Trajes de banho são permitidos desde que cubram completamente as genitais, e quem se apresenta como mulher também deve cobrir os mamilos. A cobertura total das nádegas não é necessária, mas o foco da câmera ao redor delas ainda está sujeito à nossa política de conteúdo com conotação sexual. A cobertura deve ser totalmente opaca, mesmo quando molhada. Trajes de banho transparentes ou parcialmente transparentes ou outras roupas não constituem cobertura.”


Alguns acham que a aplicação da Twitch às suas políticas de conteúdo sexualmente sugestivo é incrivelmente inconsistente, com a roupa de coelho de Caitlin indiscutivelmente menos reveladora do que parte do conteúdo de uma live na banheira.

A Twitch diz que sempre considera o contexto todo para aplicar um ban, apesar de termos casos que digam o contrário como o ban do Sheviii2k, Doc Disrespect ou não banimento quando Alinity deu vodka para seu gato. Outra curiosidade dos bands recentemente em streamers mulheres e lives de banheiras, quase todas possuem ascendência asiática. Coincidência com o que vive o EUA no momento? Talvez.