O diretor bajeense Zeca Brito recebeu o prêmio maior da 11ª edição da MOSTRA: Brazilian Film Series em Chicago, Estados Unidos. O troféu contempla o cineasta por sua carreira e o filme "Legalidade", exibido online durante o evento. A MOSTRA é considerado o maior festival de cinema brasileiro do centro-oeste dos EUA. O longa que narra a campanha de Brizola em defesa da democracia após a renúncia de Jânio Quadros em 1961 está disponível em diversas plataformas de streaming do Brasil, entre elas iTunes, Google Play e Telecine Play.

A diretora e fundadora do festival Ariani Friedl destaca as razões da premiação: "A curadoria valoriza diretores com consciência social e uma carreira distinta e este é o caso do Zeca". Segundo ela, a mostra é um evento educacional que apresenta temas como cultura, arte e política. "O filme é maravilhoso e aqui foi muito bem recebido. Muitos aqui tomaram conhecimento desta parte da História brasileira através do filme", conclui. Com realização da Partners of the Americas, a MOSTRA tem entre seus apoiadores a University of Chicago e a Loyola University.

Sucesso de público no Brasil, "Legalidade" teve sua première mundial no Chicago Latino Film Festival em 2019. Foi exibido no 47º Festival de Gramado e recebeu diversos prêmios no 42º Festival Guarnicê de Cinema e 14º Encontro Nacional de Cinema dos Sertões, incluindo melhor direção em ambos. "Legalidade" tem produção da Prana Filmes, com distribuição da Boulevard Filmes. No elenco estão Cleo, Letícia Sabatella, Leonardo Machado (1976-2018), Sapiran Brito e Juliana Wolkmer.


Sobre o diretor

Zeca Brito tem mestrado em Artes Visuais pela UFRGS, graduado em Realização Audiovisual pela Unisinos e Artes Visuais pela UFRGS. Dirigiu, roteirizou curtas e longas-metragens exibidos no Brasil e no exterior. Seu curta “Aos Pés” foi escolhido Melhor Filme Júri Popular no Festin Lisboa 2009, e o longa-metragem “O Guri”, exibido em festivais de Portugal e Brasil. Em 2015 lançou o longa “Glauco do Brasil” na 39ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e 10ª Bienal do Mercosul.

Em 2016 dirigiu o longa “Em 97 Era Assim”, Prêmio de Melhor Direção e Melhor Filme Júri Popular no Festival Cinema dos Sertões (Piauí Brasil), Melhor Direção de Atores na Mostra SESC Brasil, Melhor Filme no The Best Film Fest (Seattle, EUA), Prêmio Especial do Júri no 8º Jagran Film Festival (Índia), seleção oficial no Regina International Film Festival (Regina, Canada), Los Angeles CineFest (Los Angeles, EUA), 51º International Independet Film Festival (Houston, EUA) e Prêmio de Melhor Filme Juvenil Estrangeiro no American Filmatic Arts Awards (Nova York, EUA).

Em 2017 dirigiu o documentário “A Vida Extra-Ordinaria de Tarso de Castro” exibido no Festival do Rio e 41 Mostra Internacional de Cinema de São Paulo. Lançou em 2018 o telefilme “Grupo de Bagé”, documentário produzido para o Canal Curta. Seu longa de ficção mais recente “Legalidade” (2019) estreou no 35º Festival de Cinema Latino de Chicago.

O filme foi também exibido em festivais da Espanha, Uruguai, Guatemala e Romênia. Sucesso de público no Brasil, foi exibido no 47º Festival de Gramado e recebeu diversos prêmios no 42º Festival Guarnicê de Cinema e 14º Encontro Nacional de Cinema dos Sertões, incluindo melhor direção em ambos. Lançou em 2020 "Trinta Povos", seu sétimo longa-metragem.