SPOILERS da quinta temporada de Lucifer a seguir


Depois de quase um ano, nesta sexta-feira (28) foi lançada a segunda parte da quinta temporada de Lucifer. Com os episódios inéditos finalmente de volta à Netflix, os fãs podem descobrir o resultado do conflito entre Lucifer Morningstar (Tom Ellis) e seu irmão, Miguel (Tom Ellis), e o papel de Deus (Dennis Haysbert) nesse Casos de Família. O final da quinta temporada foi um dos mais impactantes até agora, trazendo grandes mudanças para sexta e última temporada.


O que aconteceu? A gente te conta

A primeira parte da temporada estabilizou a rixa entre Lucifer e Miguel, fazendo Deus aparecer na Terra. Durante o seu tempo no Planeta Água, o Criador parece estar perdendo os poderes, se tornando um meio instável e imprevisível. Ele até escolhe se tornar humano em certo ponto, e depois não consegue lembrar onde colocou os poderes. Na verdade os poderes de Deus estão em ordem: o problema é que Miguel estava o manipulando.

Deus decide então passar o comando do universo para um de seus filhos. Ele não escolhe quem, entretanto, ao invés disso partindo para o universo de sua esposa (Tricia Helfer) e deixando as "crianças" decidirem. Lúcifer e Miguel rapidamente se estabelecem como candidatos.


Acontece que

Tudo isso faz parte do plano de Michael. Sabendo que Lúcifer não é nada querido entre os irmãos, ele está convencido de que será escolhido como Deus. Ele até tem um plano para forçar a escolha quando monta a Espada Flamejante. Suas maquinações incluíram até assassinar Dan, para que o sentimento de culpa de Chloe (Lauren German) a condenasse ao inferno - uma forma de colocar Lucifer "no seu lugar" como Diabo.

Determinado a deter Miguel na votação, Lucifer e seus aliados trazem a guerra celestial. Com a ajuda de Chloe, Lucifer obtém vantagem e tira a espada de Miguel, mas Miguel então mata Chloe. Ela acaba indo para o céu, onde Lucifer não pode a seguir porque foi banido de lá, então nunca mais poderá vê-la.


Tá respirando? Ainda tem mais

Sem se preocupar consigo mesmo, Lucifer vai ao céu de qualquer maneira e consegue sobreviver graças ao anel de Lilith. Isso dá tempo suficiente para encontrar Chloe e dizer a ela que não é sua hora e ela tem que voltar para a Terra. Ele dá a ela o anel para salvá-la, mas o anel não tem poder suficiente para salvar os dois. Lucifer morre na frente dela depois de dizer que a ama.

Na Terra, Chloe ressuscita e ataca Miguel. Quando ela está pronta para matá-lo, Lucifer aparece vivo e bem, algo considerado impossível e todos, incluindo os outros anjos, ficam maravilhados. Todos eles se curvam a ele - incluindo Miguel, mesmo depois que Lúcifer corta suas asas. Lucifer se tornou Deus.


Explicando... Ou não

O final da quinta temporada de Lucifer não diz como essa mudança acontece, mas leva a entender que o ato altruísta de salvar Chloe está por trás disso. Ao longo da série, Lucifer foi crescendo, mudando, amadurecendo, lentamente se tornando um ser com mais profundidade emocional.

Ao se sacrificar sem pensar, ele mostrou que finalmente foi além do egoísmo e colocou os outros acima dele mesmo. Já Miguel, que tinha a maioria dos "votos", também tinha objetivos egoístas e maneiras erradas de conseguir o que ele queria.

Quando a sexta temporada de Lucifer foi anunciada, o destino da quinta já estava definido. Ainda assim, é certo que isso abre caminho para um giro final bem inesperado.

Via CB