Depois de tantos problemas quanto One Piece tem de episódios, tem review novo no ar! 

Quando O Chão Sob Meus Pés saiu nos cinemas eu fiquei bastante curiosa com a premissa, mas problemas me impediram de assistir. Agora, com o streaming sendo a opção mais segura pra tudo, nos encontramos de novo. E pense num filme simples, intrigante e angustiante? É exatamente o que nós temos aqui.


A história

Lola Wegenstein (Valerie Pachner) é uma implacável mulher de negócios num espaço dominado por homens, que guarda dois segredos: o namoro com a chefe Elise (Mavie Hörbiger), e a existência da irmã Conny (Pia Hierzegger). Vivendo uma pressão constante, ela começa a perder o controle da própria vida, da realidade, e vê seus segredos sendo ameaçados. Confira o trailer:



Por que é bom?

O Chão Sob Meus Pés é um filme desafiador por dois motivos. Um é pela premissa simples, que de simples não vai ter nada. O outro é a mistura de sentimentos que ele provoca: tensão, nervosismo, tristeza, angústia, raiva, empatia. É um filme feito para deixar você desconfortável. Mas Bruna, isso é bom? É sim.

Eu tô cansada de filmes que não desafiam realmente o espectador, não fazem ele fazer sentir coisas. (Tirando uns mais extremos que eu evito feito o diabo, tipo Sempre ao Seu Lado)


O destaque

São dois. O primeiro é como o filme encaixa os fatos de maneira intrigante: você pensa uma coisa, depois questiona se pensou certo, muda de ideia, e no fim era o que você pensou no começo. Isso é legal, pois deixa o filme imprevisível de um jeito satisfatório, prende a sua atenção e incentiva a continuar assistindo para saber como situação X vai se resolver, e o que vai ser de fulano e sicrano.

O segundo é a Valerie Pachner. Ver a pobre Lola sendo jogada pra todos os lados, pois toda hora acontece um problema diferente: é o namoro, as tretas no trabalho, os problemas com a irmã... Tem até caso de assédio. Tem momentos de quase suspense, e certas decisões dela que você questiona, mas entende os motivos. A atriz carrega tudo isso com uma interpretação muito sólida e até versátil 


Vale explicar

Não veja O Chão Sob Meus Pés esperando dramalhão norte-americano. Eu sempre deixo esse ! quando faço reviews de filmes fora dos EUA - esse, por exemplo, é alemão. O drama existe, mas é bem humano e menos "papagaiada". A diretora Marie Kreutzer me fez ter um sentimento realmente parecido de quando eu assisti Sob a Pele (ironia dos títulos, não?), sobre questionar a existência.


Veredito

O Chão Sob Meus Pés mostra a vida como ela é: caótica, tira o seu controle, causa desespero, raiva e muito mais. Bruna, isso não é depressivo demais? Considerando a vida atual, talvez. Depende da pessoa. No meu caso não fez mal, embora eu pensei que seria igual quando tentei assistir Poderia Me Perdoar?.

Foi interessante ver esse filme, eu tendo os meus problemas. Mais do que contar uma história, ele é um estudo e um alerta sobre stress e saúde mental, e o risco de descuidar desses dois assuntos. A trilha sonora faz você grudar ainda mais nas cenas. E no final deu aquela sensação de "é, eu não sou a única que tá na corda bamba da vida." Valeu a experiência.