A Twitch revelou algumas grandes mudanças no custo das assinaturas, subscrib, em todo o mundo para refletir melhor o custo de vida nesses países, ao mesmo tempo que dá aos espectadores a chance de apoiar seus criadores favoritos.


Em 17 de maio, a Twitch anunciou que o “Preço de assinatura local” seria lançado em 20 de maio, com o México e a Turquia sendo os primeiros países a ver uma mudança significativa no preço das assinaturas.

Isso será levado para a "maioria dos países" na Ásia, América Latina, Europa, África e mais a partir do terceiro trimestre de 2021.

Alguns países de interesse notáveis ​​incluem o Reino Unido, Alemanha, Rússia, Itália, Austrália, Hong Kong, Taiwan, Coréia, Irlanda e Brasil. A lista completa pode ser encontrada aqui.


De acordo com a Twitch, esta decisão estava planejada há algum tempo, com a empresa de propriedade da Amazon finalmente decidindo puxar o gatilho recentemente.

Quando você analisa os números, é fácil perceber o por quê. Como a Twitch explicou em sua postagem no blog, “A porcentagem de usuários ativos na Europa ou Ásia que oferecem suporte a criadores com uma assinatura é cerca de 50% menor em relação à América do Norte. Na América Latina, é quase 80% menor.”

Além disso, ao testar essas alterações, os resultados falaram por si. “Conduzimos vários testes de preço e vimos que os preços menores aumentaram as receitas mensais gerais e as receitas secundárias para os criadores”, informou a Twitch. “Em um teste recente no Brasil, os preços menores de subs mais que dobraram a receita do criador e a contagem total de assinantes."

Valores no Brasil no momento desse post


Quanto a como as mudanças afetarão os streamers, a Twitch está lançando um programa de 12 meses para garantir que certos níveis de receita sejam alcançados.

“A Twitch cobrirá 100% do canal da linha de receita base e subs do Prime (se necessário) por três meses, incluindo o mês da mudança de preço”, explicaram. Depois disso, os pagamentos de incentivos serão reduzidos em 25% a cada três meses durante os próximos nove meses.

Além disso, a Twitch analisará quanto dinheiro um criador ganhou com os subs nos últimos três meses e calculará as médias com base em quanto de conteúdo foi transmitido. “Contanto que esse criador transmita pelo menos 85% de sua base de horas streamadas ao vivo em um mês e atenda a certos outros critérios de elegibilidade, pagaremos a esse criador um 'incentivo de ajuste de receita' para compensar qualquer perda de receita de assinantes”.

Esta deve ser uma boa mudança para os telespectadores em países que recebem os ajustes de preços e, esperançosamente, a reformulação resulta em mais receita geral para os streamers em toda a Twitch.