Na segunda-feira eu saí com a minha avó. Enquanto eu voltava pra casa, soube que o Tarcísio Meira tinha sido internado. Hoje, dia 12 de agosto, ele morreu aos 85 anos por complicações da Covid-19. É outra perda enorme para cultura brasileira, pois o cara foi sucesso na TV, teatro e cinema. Eu chamo agosto de desgosto não é por acaso.

O homem vai, mas o legado fica. Não vou posar de tiete, porque não sou. Parei de ver novela há muito tempo, mas não preciso ter carteira de fã clube pra gostar de alguém que faz os outros felizes. Duvido que até galera mais jovem não conheça trabalhos do ator, tipo Senhora do Destino, O Rei do Gado, Fera Ferida, e Irmãos Coragem.

Ah! E o imortal Bóris Vladescu de O Beijo do Vampiro. Baita novela bacana, essa.

Isso sem falar que ele e a Gloria Menezes foram um dos casais mais fofos e invejáveis dessa vida. Até eu que não sou romântica adoraria envelhecer com alguém do meu lado, rir e chorar comigo igual eles foram um para o outro. 

Obviamente as pessoas estão politizando a morte. Claro. Rede social é uma lixeira. Ao invés de haver uma união para chorar a perda, mas se alegrar com os momentos que o ator deixou... As pessoas estão gastando os seus preciosos minutinhos para dizer que "o Tarcisio Meira morreu porque a vacina não adianta"

Um bando de babacas com B maiúsculo. (Posso xingar, não temos adsense mesmo). 

Eu amo a vida, mesmo com tanta coisa que eu tô passando. Mas não dá pra negar que mortes assim, em momentos assim, deixam ela um lugar mais triste. Elas sempre me fazem pensar no que eu tô fazendo e deixando pra essa vida. É como o In Flames diz em Liberation: "se hoje fosse o seu ultimo dia, isso mudaria alguma coisa?" 

O meu negócio é escrever. Então eu tento deixar o seu dia mais informativo, legal e agradável. Vai ter momento pistola também, porque todo mundo sabe que eu não tenho paciência pra muita coisa.

Mortes assim também me fazem voltar a um ponto: valorizar os mais velhos. Eu sei que a maioria dos nossos leitores é jovem, então o recado vai pra todo mundo, mas em especial pra vocês.

Curtam os seus velhos, pois eles não são um Steve Rogers. Eles não vão fazer 100 anos com corpinho de 30. Respeite, ajude, escute o que eles tem a dizer. Agora eu só tenho a minha avó por parte de mãe, que adora reclamar de tudo. Mas eu adoro a velha. Torço pra chegar na idade dela, no ponto que o Tarcísio Meira chegou: uma vida bem vivida e realizada na medida do que as circunstâncias permitiram. 

Então vamo que vamo.