Nesta sexta-feira (3) o Iron Maiden lançou Senjutsu, 17º álbum de estúdio e primeiro de inéditas em seis anos. Sequência de The Book of Souls (2015), o título é traduzido de forma livre como "tática e estratégia", porém pode também se referir a habilidade, técnica, truque, recursos e magia. Numa curiosidade interessante, no mesmo dia, lá em 1984, a Donzela de Ferro lançava um grande sucesso: Powerslave.

Com 10 faixas e 1h21 de duração, Senjutsu é o segundo álbum duplo do Maiden - o primeiro foi The Book of Souls. A banda gravou o álbum no começo de 2019 durante uma pausa da turnê Legacy of the Beast, e manteve a novidade em segredo durante a pandemia.

O baixista Steve Harris escreveu a maior parte do álbum, quatro músicas, com três de autoria do vocalista Bruce Dickinson. A dupla de guitarristas Adrian Smith e Janick Gers assina, respectivamente, uma e duas músicas.

Singles

The Writing on the Wall


Stratego


Capa


Com tantos visuais que ele já teve ao longo dos anos, agora é a vez do Samurai Eddie! A ilustração é de Martin Wilkinson, colaborador de longa data com Iron Maiden que também já trabalhou com Judas Priest e Marillion.

Recepção

O Iron Maiden mantém a fórmula amada pelos fãs de todas as gerações, e oferece uma sonoridade com novos temperos. Como resultado, Senjutsu já caiu nas graças da crítica e considerado um dos melhores álbuns do grupo. No Metacritic ele tem Metascore 86 e nota 9.2 dos usuários. Senjutsu está ainda em 26º na lista dos melhores álbuns de 2021 segundo o site, e em 71º entre os álbuns mais falados do ano.

Ouça agora