Após você encontrar as idosl fofinhas da máfia e adorar seu jeito... peculiar, chegou a vez de falarmos sobre o live action dorama de Back Street Girls - Gokudols. Com seis episódios a adaptação de TV foi lançada no mesmo período do filme live action e manteve o elenco para levar algumas situações do anime para a realidade, e ainda, nos dar uns momentos reflexivos inesperados.

Relembrando quem são as Gokudols

Tudo começa quando três yakuzas falham com seu chefe pela última vez e precisam fazer uma escolha entre duas opções: um suicídio honroso ou viajar para a Tailândia, realizar um cirurgia de troca de sexo e se tornarem assim as novas divas pop. Ele (ou elas?) estreiam com um tremendo sucesso, e ai, ai que a coisa realmente desanda porque deu bom.

Talvez uma das grandes curiosidades dessa loucura toda seja que vem da mente criativa da mangaká Jasmine Giuh. Sim, o nível absurdo de humor e baixaria do anime vem de uma mulher, que olha, se não passou pela situação das suas criações, deve ter crescido no Brasil em meio aqueles tios que bebem tanto quanto o Zeca Pagodinho mas com companhias duvidosas em um longínquo anos 1990 e seguindo.


Diferente do anime não veremos tantos personagens no mini dorama, contudo, estão presentes Airi Yamamoto (Kentaro Yamamoto), Mari Tachibana (Ryo Tachibana), Chika Sugihara (Kazuhiko Sugihara), chefe Inugane, Yuu e mais alguns poucos. A série adapta e juntas alguns personagens para contar essa história e manter a insanidade do original.

As diferenças do anime e o dorama de Gokudols

Obviamente que mídias diferentes funcionam de maneiras diferentes para poder contar uma mesma história. Em seis episódios na TV veremos muitos eventos da metade do anime sendo representado e contando a história de como o grupo é formado e seus desafios para gerar dinheiro para a yakuza.

Contudo a série surpreende não por conseguir entregar cenas icônicas bem retratadas como o tropeção de Chika ao tentar dizer que ainda se sentia masculina e dar confusão por agir como a mulher que ela se tornou, ou mesmo a cena da pegadinha. Saudades de saber sobre a hemorroida da Mari, presente... digo, tem também! Aqueles conselhos bizarros para as jovens fãs? Isso e mais.


Mas principalmente a série entrega um lado mais dramático que até vemos no anime, mas a série, eleva a um nível que você chega para dar risada e sai refletindo sua vida e com mais uns três traumas na cabeça. A questão deles aceitarem que agora são mulheres, idols e como viver essa nova realidade, ao mesmo tempo que, tentam resolver algumas coisas do passado com a família.

Tirando cenas que você já pode começar a imaginar que estão presente, a série entrega um novo arco para Airi que ao mesmo tempo que te faz rir instantaneamente, o desenvolvimento e desfecho dele mexerá com você mas não para rir, mas ter uma emoção com a líder das Gokudols.

O show das Gokudols


Com toda essa mistura do humor sem noção e um pouco de drama que se espera numa novela, o live action televisivo de Back Street Girls - Gokudols surpreende em diversos pontos e principalmente por conseguir levar toda a essência da série, para um formato novo e com outro desafio narrativo.

Mais do que boas interpretações dos personagens principais, porta voando a torto e a direito, Gokudols consegue uma proeza rara e mostra ao ocidente que sim, tem como adaptar um anime para live action, não descaracteriza-lo, até mesmo ter uma linguagem diferente, e entregar uma excelente entretenimento aos fãs e para os curiosos.

Já assistiu o anime com a sua avó mais desbocada? Agora é hora do live action pra véia renovar as risadas e vocês terem um momento.