Ah, os reviews atrasados. Eu amo eles, mordem meu calcanhar até finalmente verem a luz do dia. Depois de quase um mês, hoje vamos falar sobre If I Can't Have Love, I Want Power, novo álbum da Halsey. Porque mesmo já tendo passado um tempo do lançamento, é um álbum que realmente não dá para não falar sobre.

Logo de cara você percebe a evolução da cantora. Halsey oferece um álbum complexo, teatral, perfeitamente definido na frase "a Game of Thrones-meets-French Revolution-themed goth rock opera about the Madonna-whore complex." Ele é fascinante pelo seu ar bizarro e sombrio, uma experiência que mexe com o ouvinte.


If I Can't Have Love, I Want Power não é um álbum feminista. Ele passa essa impressão por falar de temas como patriarcado, misoginia, gravidez e maternidade. Apesar disso, ele foge da concepção super-feminina que a sociedade tem sobre esses temas. Ele é cru e intenso nesse sentido, com letras muito bem escritas que em vários momentos dão um soco no estômago emocional.

Elas exploram sentimentos de auto-dúvida, auto-sabotagem, auto-empoderamento, que são diários na vida da mulher. É uma ironia a Halsey compor um álbum desses num dos melhores momentos da vida e da carreira, mas faz todo sentido essa justaposição de humores.


Outra coisa incrível é a variedade musical. Para o novo trabalho, Halsey trabalhou com Trent Reznor e Atticus Ross do Nine Inch Nails como produtores, e isso se reflete da primeira à última música. Tem rock alternativo, industrial, pop, grunge, punk, e mais. Os gêneros se combinam de uma forma fluída, cinematográfica, fazendo você mergulhar no fluxo de consciência que a Halsey oferece.

Citando só alguns exemplos, pra não dar muito spoiler, tem a rebeldia punk de Easier Than Lying, o pop simples, mas emocionante de Darling, o ar industrial de Girl is a Gun.

Falando nela, Halsey está com a voz cada vez melhor. Seu estilo de vocal é bem distinto, e combinou muito bem com o álbum. Ele é delicado, tem energia quando precisa, com o toque exato de bizarrice das músicas. Isso torna a experiência de ouvir o álbum mais completa, tensa e muito boa.

Vale a pena ouvir If I Can't Have Love, I Want Power?

Muito. Esse é mais um ótimo álbum para safra atual de álbuns conceituais recentes, como folklore e Chromatica. Mais do que uma pessoa realmente talentosa pra música, Halsey é alguém que tem muita coisa a dizer, e cativa você a querer ouvir. 

Faz mais de um ano desde o meu review do Manic, quando eu comecei a ouvir a Halsey. Embora eu não tenha o preconceito com o pop atual que eu já tive um dia, o álbum me surpreendeu bastante. Com If I Can't Have Love, I Want Power, o sentimento é ampliado e aprofundado. Para qualquer pessoa que gosta de boa música, o álbum está ótimo e vale muito a espiada.

Solte o play no álbum completo


Faixas favoritas: The Tradition, Easier Than Lying, Darling, 1121