Antes de começarmos a falar sobre o que veio ver aqui, afinal, tem cara que você também passou por esse, esse e esse posts aqui, mas, o texto abaixo é totalmente o spoiler de uma das cenas de Eternos e nos leva ao ato sexual sendo realizado no MCU. Agora que você está ciente, vamos lá!


Eternos” marca vários marcos para o Marvel Studios. É o primeiro título do MCU a ser dirigido pela vencedora do Oscar e uma mulher negra, Chloé Zhao. É o primeiro longa-metragem do estúdio com super-heróis do sul da Ásia (Kingo de Kumail Nanjiani), Latina (Ajak de Salma Hayek), surdos (Makkari de Lauren Ridloff ) e LGBTQ (Phastos de Brian Tyree Henry). É o primeiro a apresentar um beijo do mesmo sexo, entre Phastos e seu marido, Ben (Haaz Sleiman).

E é o primeiro filme da Marvel Studios a apresentar dois personagens fazendo sexo na tela.

Quando o último foi apontado para Zhao em uma entrevista no final de outubro, a diretora abriu um largo sorriso. "Nós vencemos!" ela disse.

Embora “Eternos” seja um filme de equipe, sua história é construída em torno do casal central: Sersi (Gemma Chan) e Ikaris (Richard Madden), dois super-heróis eternos que se apaixonaram há mais de 3.000 anos durante o Império Babilônico - e então consumaram seu amor na tela em uma paisagem rochosa banhada pelo sol.

Climão de Game of Thrones né? Você sai da série mas a série não sai de você.


Zhao disse à Variety que a cena estava “em tratamento” para “Eternos” que ela leu antes de embarcar para dirigir o filme.



“Você não pode contar uma história de amor madura se você não vai fazer algum tipo de ...” ela disse, parando. “É lindo ver duas pessoas demonstrando afeição física uma pela outra - um beijo, fazer amor.”

Zhao filmou a cena entre Chan e Madden no local, no final do dia de produção.

“Gemma e Richard, fizeram um ótimo trabalho [com] a última luz que tinhamos”, disse Zhao. “É de muito bom gosto. Você pode sentir o amor genuíno que eles têm um pelo outro.”

Filmes de super-heróis sem sexo

Sexo no cinema de longa-metragem de estúdio tornou- se raro, em geral nos últimos 20 anos, com classificações PG e PG-13 dominando como contadores de histórias para franquias amigáveis ​​de quatro quadrantes. Dado o apelo geral para as crianças - e uma tempestade na mídia causada por cenas sexualmente sugestivas entre Batman (Michael Keaton) e Mulher-Gato (Michelle Pfeiffer) em "Batman Returns" (Batman O Retorno) de 1992 - o sexo foi especialmente proibido no cinema de super-heróis, sequestrado no território da sugestão e travessuras fora da câmera. 

Aquele Bat-Virilha em filme natalino de herói...


No MCU houve um caso (não visto) de uma noite entre Tony e a jornalista Christine Everhart (Leslie Bibb) em “Homem de Ferro” de 2008; uma cena ambientada em um bordel interestelar em “Guardiões da Galáxia Vol. 2”; e algum seriado de ficção científica na série de 2021 do Disney Plus “WandaVision”. 

A maioria dos casais do MCU permanecem, no máximo, PG - Steve Rogers e Peggy Carter, T'Challa e Nakia - ou têm um medo absoluto da sexualidade escrito em arcos de seus personagens para mantê-los separados, como Bruce Banner e Natasha Romanoff.

E é basicamente isso. Além da cena vista em "Deadpool" de 2016, até mesmo a recente onda de filmes de super-heróis censurados recebeu sua classificação por violência gráfica, linguagem grosseira e nudez ocasional, em vez de cenas de sexo.

O Marvel Studios, é claro, é propriedade da Disney, que há décadas protege ferozmente sua marca multibilionária, voltada para a família. E, no entanto, Zhao diz que não obteve nenhum entrave do estúdio sobre a cena de sexo entre Sersi e Ikaris em “Eternos”.

“Quando a montamos, mostramos às pessoas da Disney, e eles realmente adoraram”, disse ela. "Foi bonito. E não houve discussão sobre retirá-lo.”

Será que é o inicio de vermos futuramente um pouco de atos da vida real, mesmo moderado, nos filmes de super-heroís agora?