Fim de ano sempre traz consigo alguns clichês que dificilmente saíram de moda, e sim, como o título bem entrega, estamos falando de retrospectivas. No texto de hoje vou abrir um pouco mais o coração e comentar sobre como foi o primeiro ano sendo afiliado da Twitch. Justamente o ano que se ameaçou greve de conteúdo na divisão brasileira da plataforma.


Vale a pena fazer live na Twitch? Depende

Realmente depende muito e o que é o "valer a pena" para você, afinal, muitos esquecem de um detalhe: é muito difícil você crescer do zero iniciando com livestreaming. A melhor formula ainda é construir um público em outras redes sociais, e partir daí, explorar o conteúdo ao vivo. Não apenas na Twitch.

Repare que o combo mais comum é você criar vídeos para o Youtube e chamar/avisar essa audiência sobre suas lives na Twitch, ou no próprio Youtube, Trovo, Nimo, TikTok, seja onde for realizar. A Twitch possui muitas vantagens cômodas, e, ao tentar melhorar a situação da audiência e acreditando que isso também refletiria em melhoria para o criador, encontrou uma enorme resistência onde o valor do sub beneficiou demais a audiência.

A melhor IRL de fim de ano do entretenimento

O valor para a pessoa te apoiar ter ido de quase R$ 24 para R$ 7,90 foi muito bom, contudo, a Twitch reduziu o valor que repassa aos criadores das Inscrições pagas, e o Prime, também sofreu redução de quase 50% do valor repassado. A melhor forma de ganhar dinheiro sempre foi nas doações e bits, agora, isso foi reforçado.

Claro que uma comissão de U$ 1,74 do Prime era algo muito bom para nós, afinal, a moeda tá quase 6 vezes desvalorizada perante ao dólar, e aí, 100 dols morais se tornam quase 600 dols morais. Bem menos pelo imposto né...

E o nosso canal? Foi bem, até

1000k em dezembro de 2022?


Levando em conta nossa eterna dificuldade de manter o canal do YouTube vivo, de parar e fazer um pouco elaborado, ter moralmente uns 250 seguidores em um ano foi algo muito bom. Pode parecer pouco mas a nossa quest do Afiliado (aqui um guia para você se tornar afiliado da Twitch com menos sofrimento) foi uma guerra.

Twitch pede sete lives nos últimos 30 dias, 12h de live transmitidas, 50 seguidores e uma média de 3 pessoas assistindo nos últimos 30 dias. Essas duas últimas serão complicadas no início, especialmente se você é desconhecido (o que todos somos de certa forma). Nós esbarramos elas de forma alternada. Quando tinha média 3, não tinha os seguidores, quando conseguimos mais de 50 seguidores, a média caia. Foi um balé mas que deu certo esse lago do cisnes.

Ainda tem o fato que no início era mais sofrido fazer a live ficar no ar, algo que melhorou com o upgrade do PC. A máquina ganhou outra melhoria esse ano, junto com um baita reforço de áudio, e em 2022, espero realizar mais uma e adquirir uma placa de vídeo.

Então começar o ano com menos de 100 seguidores e terminar com mais de 300, é muito positivo. Melhora com o fato citado de sambar no Youtube e sem ter como linkar no Instagram por muito tempo, por exemplo, dependendo muito do Twitter na divulgação.

Stats alheios da Twitch

Nada mal para um canal "casual"


Essa conversa veio por causa das retrospectivas da Twitch e desses sites que realizam diversas métricas da plataforma. E ver alguns números consideráveis, em meio a um ano complicado, com a vida tendo altos e baixos mexendo conosco, foi uma boa resposta para manter a live e buscar melhorar ela e tentar parcerias.

Ainda surgiu um reforço inesperado que foi conhecer o Anime Fighters, vamos falar melhor dele futuramente por aqui. A magia desse modo de jogo do Roblox deu uma vida diferente para o fim de ano da live, e, a meninada querendo melhorar sua conta ou simplesmente mandar o streamer trabalhar de verdade, garantiram umas risadas e subs inesperadas.


Então se quer começar, explore mais as outras redes sociais, crie clipes da sua live e divulgue nos reels, shorts, "tika taka" e não desista. Quanto ao nosso canal, te esperamos em 2022 e rumo a 1000 seguidores? Será? Vamos a luta!